Modelos de Relatórios, Modelos Prontos, Parecer Descritivo

Orientações para elaboração de Relatório Individual da Educação Infantil


Orientações para elaboração de Relatório Individual da Educação Infantil.

Parecer Descritivo do Aluno: Segundo Hoffmann (2000), registrar significa estabelecer uma relação teórico/prática sobre as vivências, os avanços, as dificuldades, oferecendo subsídios para encaminhamentos, sugestões e possibilidades de intervenção para pais, educadores e para o próprio aluno.

O registro constante permite uma observação mais fundamentada sobre os avanços dos alunos, revelando a trajetória da aprendizagem (o que aprenderam, como e o que falta aprender), estabelecendo pontos de chegada para cada período de avaliação.

Modelos de relatórios e pareceres descritivos editáveis para download

Para que serve o parecer descritivo?

Lembre-se de que o objetivo é informar os adultos e buscar soluções, nunca rotular a criança como boa ou ruim.

Esse documento acompanha a avaliação, portanto, não é preciso copiá-las palavra por palavra – além de isso tomar tempo dobrado do professor, não será útil nem à coordenação, nem aos pais, nem aos próximos professores que seu aluno tiver.

Também não é necessário enfeitar o texto: mantenha um estilo simples e conciso, fácil de compreender. Quanto mais clara for a mensagem, melhor e mais eficaz o acompanhamento que essa criança vai receber de todas as frentes. Normalmente, o parecer não deve passar de uma ou duas páginas.

Importância do parecer descritivo na educação infantil

Hoje a maioria das escolas ADERIRAM a esta forma de avaliar, MAS nem todas, porque nossos profissionais não estão preparados para tal, e o que mais me preocupa é que não vejo uma preocupação para que esta preparação aconteça.

Não é nem um bicho de sete cabeças, porém é preciso que o professor seja um bom observador, um bom leitor e um mestre na arte de escrever, pois vamos falar de um ser humano em sua principal fase de desenvolvimento e é preciso cautela e precisão no que se vai falar.

Vale uma dica para quem se interessa em desenvolver este tipo de avaliação, mesmo que seja a longo prazo. Reúna os profissionais de Educação Infantil de sua escola e escolha as obras e artigos mais recentes sobre o assunto. Pegue exemplos de relatórios, leiam, estudem, discutam, comecem a fazer rascunhos e se avaliem como grupo.Depois não tenha medo, é só começar.

O professor pode registrar em um caderno a parte as observações feitas em todo e qualquer aspecto sem preocupação com termos durante todo o semestre, quanto mais fiel melhor, isso ajudará a escrever o relatório individual, estruturá-lo com os termos mais adequados.

Orientações para elaboração de Relatório Individual da Educação Infantil

É importante considerar, na construção do relatório individual das crianças os seguintes critérios:

  • A avaliação deve sempre enfatizar os avanços e não os fracassos dos alunos.
  • Registrar o que o aluno conseguiu em que progrediu nunca utilizar termos pejorativos;
  • • Valorizar e registrar o desenvolvimento sócio-afetivo como: participação, solidariedade, posicionamento diante das rodas de conversa etc;
  • Registrar a participação do aluno nos projetos desenvolvidos na sala;
  • Deve-se proceder relação com o registro anterior, ou seja, dar uma continuidade ao texto valorizando o que o aluno aprendeu;
  • Diversificar a redação de um aluno para o outro, buscando ser fiel em suas colocações, produzindo um texto narrativo e não em tópicos.

Devem ser evitados:

  • Adjetivos comparativos: Maria é a mais levada.
  • Adjetivos superlativos: Joana é levadíssima.
  • Palavras de significado extremo, advérbios de intensidade: José nunca faz…
  • Palavras atenuantes: Lúcia parece levada.
  • Julgamentos que devem ser aferidos por médicos ou psicólogos: Sônia é hiperativa.
  • Generalizações: Laura tem dificuldade na aquisição de conhecimentos.
  • Descrições estáticas, juízos de valor e rótulos: Pedro é…, João não sabe, Flávia não consegue…

Sugestões para iniciar relatórios:

  • Com base nos objetivos trabalhados no bimestre, foi possível observar que o aluno…
  • Observando diariamente o desempenho do aluno, foi constatado que neste semestre…
  • A partir das atividades apresentadas, o aluno demonstrou habilidades em…
  • Com base na observação diária, foi possível constatar que o aluno…

SUGESTÕES DE REGISTROS DE HABILIADES POR ÁREA:

  • Linguagem Oral;
  • Nome Próprio;
  • Aprendizagem;
  • Autonomia;
  • Participação;
  • Motricidade Ampla/ Motricidade Fina/
  • Percepção Visual;
  • Identificação de Letras;
  • Identificação de Numerais;
  • Egocentrismo;
  • Concentração;
  • Relacionamento;
  • Disciplina;
  • Solicitação de Apoio;
  • Outras Observações.

LINGUAGEM ORAL:

1 – Na linguagem oral ampliou seu repertório linguístico. Articula corretamente as palavras.

Realiza reconto de histórias com facilidade e coerência dos fatos, canta.

2 – Na linguagem oral, na aquisição paulatina das habilidades básicas necessárias à produção e emissão correta de fonemas, ainda não desenvolveu plenamente esta habilidade, pois realiza trocas e omissões de fonemas (citar quais fonemas troca ou omite) no exercício da oralidade, nem sempre expressando-se e ou reproduzindo mensagens verbais com gradativa clareza e fluência.

3 – Na habilidade oral de articulação adequada das palavras (falar corretamente), ainda apresenta dificuldades acentuadas na pronúncia realizando trocas e omissões de fonemas (citar quais fonemas troca ou
omite) no exercício da oralidade, comprometendo seu entendimento.

NOME PRÓPRIO

1. Já reconhece o próprio nome e o escreve sem apoio da ficha. Identifica o nome de outros colegas da turma, reconhecendo inclusive a letra inicial. Realiza a pegada do lápis corretamente.

2. Com auxílio, identifica seu nome e sua letra inicial, sendo incentivado neste sentido pela professora e colegas. Com apoio da ficha, copia seu próprio nome.

3. Não identifica seu próprio nome, nem a letra inicial, mesmo com apoio da ficha.

4. Necessita desenvolver na motricidade fina a pegada do lápis, pois ainda não consegue copiar seu próprio nome, sem auxílio.

AUTONOMIA

1. É autônomo e seguro para realizar as tarefas propostas, não necessitando da ajuda do professor nos conceitos que já conhece.

2. O desenvolvimento da autonomia está em processo, em determinados momentos, ainda apresenta insegurança para realizar suas atividades, mesmo aquela que já sabe.

3. Na realização das atividades proposta, ainda apresenta-se inseguro, necessitando desenvolver a autonomia. Sempre solicita ajuda do professor, mesmo nos conceitos que já conhece.

PARTICIPAÇÃO

1. Participa das atividades propostas, opinando, dialogando e interagindo com a turma.

2. Participa ou interage somente quando estimulado pelo professor.

3. Não participa nas aulas, deixando de responder e interagir com a turma, mesmo quando estimulado pelo professor.

MOTRICIDADE AMPLA/MOTRICIDADE FINA/ PERCEPÇÃO VISUAL

1. Desenvolveu as habilidades na execução dos movimentos envolvendo os grandes músculos do tronco, braços, pernas, pescoço (andar, correr, soltar, arremessar, chutar, etc). Apresenta equilíbrio, na execução das atividades que envolvem: andar, correr, etc.

2. A percepção visual vem melhorando gradativamente, assim como a coordenação motora, porém necessita realizar mais atividades para o desenvolvimento de tais habilidades por meio de circuitos, exercícios dirigidos, etc.

3. Nas habilidades de percepção visual e coordenação motora apresenta dificuldade acentuada necessitando ainda de mediação para o reconhecimento e a grafia de vogais, numerais e do próprio nome. Não realiza a pegada correta do lápis.

4. Abotoa e desabotoa suas roupas. Amarra o cadarço. Recorta papel com tesoura, com desenvoltura. Modela com massinha. Realiza a pegada do lápis corretamente utilizando-o para desenhar ou escrever. Desenvolveu a percepção viso-motora, realizando o traçado das letras corretamente.

IDENTIFICAÇÃO DE LETRAS

1. Reconhece as vogais e as consoantes trabalhadas: (cite quais foram trabalhadas), não apresentando dificuldades na identificação ou traçado.

2. Reconhece parcialmente as letras trabalhadas: (cite quais foram trabalhadas), apresentando insegurança e confusão na identificação de algumas delas.

3. Apresenta dificuldade acentuada para identificar as letras trabalhadas: (cite quais foram trabalhadas), mesmo tendo auxílio da professora, necessitando desenvolver a percepção visual para realizar a diferenciação das letras.

IDENTIFICAÇÃO DE NUMERAIS 

1. Realiza contagem de memória. Reconhece e registra os numerais: (cite quais foram trabalhados), relacionando a quantidade a seus respectivos números.

2. Está desenvolvendo o conceito de numeral, porém alterna numeral na contagem de memória e confunde ou troca alguns números ao realizar registro escrito.

3. Necessita desenvolver o conceito de numeral. Não realiza contagem de memória, mesmo com mediação e suporte de material concreto. Ainda não relaciona quantidade ao numeral. Não identifica os números trabalhados: (cite quais foram trabalhados).

EGOCENTRISMO

1. Divide materiais, espaços e ambientes com os colegas.

2. Ainda encontra-se na fase do egocentrismo, porém a questão do individualismo está sendo trabalhada partir do compartilhamento de materiais coletivos, como brinquedos, jogos e nas atividades coletivas no pátio, área verde e parque de areia.

3. Ainda encontra-se na fase do egocentrismo, não divide materiais e reage negativamente ao ser pressionado a compartilhar objetos de uso coletivo, como lápis de cor, brinquedos e jogos.

CONCENTRAÇÃO

1. Demonstra interesse na realização das tarefas propostas e consegue se manter atento durante a realização das mesmas.

2. Dificuldade de concentração necessita aumentar o tempo de atenção dirigida nas atividades propostas.

3. Necessita desenvolver atenção dirigida nos momentos destinados às atividades individuais. Dificuldade de aguardar a vez ou permanecer em silêncio nos momentos solicitados.

4. Não realiza as tarefas, aparentando desanimo e cansaço, porém logo parte para brincadeiras ou outras atividades.

RELACIONAMENTO

1. Relaciona-se bem com os colegas e a professora ajudando-os quando necessário.

2. Está interagindo melhor com o grupo, comunicando-se com mais frequência.

3. Evita contato e diálogo com os colegas e professores, preferindo permanecer sozinho.

4. Utiliza-se de palavras pouco cordiais para repelir ou afrontar.

5. Apresenta comportamento fora do comum para a sua idade e para o convívio em grupo: (citar).

6. Não demonstra interesse em participar nas atividades propostas. Dispersa-se com facilidade.

DISCIPLINA

1. Convive com todos de forma harmônica, travando diálogos, expressando seus sentimentos. Obedece as regras e combinados.

2. Apresenta dificuldade em seguir as regras e os combinados. Busca atenção diferenciada para si.

3. Não respeita os combinados da turma ou as regras da escola. Dificuldade em aceitar correção do professor ou de funcionários da escola.

4. Costuma se preocupar com o hábito e as atitudes dos colegas.

5. Em situações de conflito coloca-se como expectador, mesmo quando está clara a sua participação.

6. Costuma se preocupar com o hábito e as atitudes dos colegas.

7. Em situações de conflito coloca-se como expectador, mesmo quando está clara a sua participação.

SOLICITAÇÃO DE APOIO

1. Foi encaminhado a Orientação Educacional em (citar mês) para mediação no que se refere às dificuldades no (motivo).

2. Foi encaminhado a Equipe Especializada de Apoio à Aprendizagem (EEAA) em (citar mês) para avaliação/intervenção das dificuldades de aprendizagem apresentadas.

3. Necessita de avaliação com Fonoaudiólogo, para sanar as dificuldades na fala detectadas e para a Escola receber orientações de quais estratégias podem ser adotadas para o auxílio do aluno (a).

OUTRAS OBSERVAÇÕES

1. Esteve infrequente ao longo do semestre, mesmo suas faltas sendo alternadas.

2. Passou por “Triagem de Fala”, realizada pela EEAA, que realizou orientação a família para buscar atendimento.

3. Foi encaminhado ao Conselho Tutelar de para solicitação de ajuda para
acompanhamento médico.

4. Participou de atividades planejadas do Projeto …citar projetos específicos desenvolvidos.

5. Possui laudo médico: CID F.84 (Transtorno do Espectro Autista) e está sendo acompanhado pela EEAA.

Professor:

Este material foi organizado para ser usado como suporte na construção dos Relatórios Individuais de seus alunos.

Sinta-se a vontade para adaptá-lo conforme as necessidades do seu aluno, porém lembre-se que o Relatório Individual deve primar pelos aspectos pedagógicos desenvolvidos no aluno, sem julgamento de valores.

Orientações para elaboração de Relatório Individual da Educação Infantil


Orientações para elaboração de Relatório Individual da Educação Infantil
5 (100%) 3 votes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *