Artigos Educacionais, Crianças, Dicas

Estratégias para ensinar uma criança a se defender sem violência


Estratégias para ensinar uma criança a se defender sem violência: O bullying está se tornando um problema cada vez mais alarmante. 

Apenas em Espanha, estima-se que um em cada dez estudantes tenha sido vítima de bullying e que 70% das crianças menores de 17 anos tenham participado de um episódio deste tipo em algum momento. Embora os mais vulneráveis ​​sejam geralmente crianças com uma personalidade introvertida e poucos amigos, na realidade eles correm o risco de serem vítimas de bullyingÉ por isso que é importante que os pais ensinem suas estratégias para se defender de um agressor.

Essas ferramentas não só ajudarão você a não cair na armadilha dos perseguidores, mas também os tornará mais seguros de si mesmos. No entanto, não devemos confundir a defesa com a violência. Ao ensinar uma criança a se defender recorrendo à violência, estaremos ensinando-lhe que esta é a maneira correta de resolver problemas, estaremos treinando uma criança violenta. Em vez disso, ao ensinar suas ferramentas assertivas de resolução de problemas e algumas habilidades sociais, a ajudamos a lidar com valentões,mas também a preparamos para sua vida futura.

Confira também: 5 formas de corrigir a agressão infantil

Estratégias para ensinar uma criança a se defender sem violência

5 ferramentas para que uma criança aprenda a se defender sem recorrer à violência: São excelentes Estratégias para ensinar uma criança a se defender sem violência.

1. Ensine-o a responder a agressões com uma linguagem direta

Uma estratégia muito eficaz para neutralizar as ameaças de um perseguidor é falar com ele usando uma linguagem simples, direta e neutra do ponto de vista emocional. Desta forma, a criança transmite a idéia de que ele não pretende se tornar sua vítima. No entanto, os pequenos acham muito difícil porque acham difícil gerenciar suas emoções e dar a impressão de que eles estão calmos quando, na realidade, eles se sentem assustados.Portanto, um excelente exercício é praticar o jogo de papéis em casa. Você pode assumir o papel de perseguidor e pedir ao seu filho para treinar suas respostas com você.

2. Ajude-o a desenvolver linguagem não verbal

Ensinar a criança a desenvolver a comunicação não-verbal não só o ajudará a reforçar seu discurso na frente dos perseguidores, mas também permitirá que ele fortaleça suas relações interpessoais. Algumas estratégias simples que podem ser úteis neste tipo de circunstâncias são aprender a manter contato com os olhos, regular o tom da sua voz, manter uma distância segura do assediante e usar seu nome quando falar com você. Em vez disso, você deve evitar retroceder enquanto interage com o agressor, olhando para o outro lado ou elevando sua voz demais, pois esses sinais transmitem medo.

3. Mostre-lhe como evitar insultos

Todo ato de bullying começa com um insulto. Esta é geralmente a isca perfeita para perseguidores para provocar e atacar os filhos mais fracos e geralmente é uma estratégia muito eficaz. No entanto, se a criança, ao invés de reagir com medo ou chorar, evade as ofensas, estará boicotando o plano do assediante. Uma alternativa simples para contrariar as intenções de um agressor é ensinar seu filho a evitar ofensas. Algumas estratégias úteis podem ser: responder como se a ofensa não tivesse menor importância, ignorar os comentários do agressor, responder com um elogio ou sair com a cabeça como se você não estivesse interessado no que você diz.

Confira: Por que as crianças ficam com raiva.

4. Motivar você a fazer novos amigos

Ter um grupo de apoio é uma ferramenta muito eficaz para ficar a salvo dos atacantes. No entanto, há crianças que acham difícil fazer amigos facilmente porque são reservados e tímidos. Nestes casos, é conveniente encorajar a criança a participar de eventos com outras crianças, além de se envolver mais nas atividades com seus colegas de classe. Inscrevê-lo em cursos extracurriculares relacionados aos seus gostos e interesses também é uma forma de aumentar seu círculo de amigos e ajudá-lo a ser mais aberto com os que o rodeiam.

5. Fornecer estratégias de autocontrole

Uma estratégia comum entre os atormentados é fazer sua vítima chorar, ficar brava ou perder o controle. No entanto, se a criança cede e é vulnerável, o ponto de não retorno será transferido, pois, a partir desse momento, não deixarão de incomodá-lo. Por outro lado, se ele não reagir a ofensas e agressões, o agressor provavelmente perderá interesse. 

Não deixe de ver: O que fazer quando as crianças estão com raiva?

Neste caso, as estratégias de autocontrole podem ser muito eficazes, como respirar profundamente, longe do seu perseguidor ou contar até 10 para você.

Estratégias para ensinar uma criança a se defender sem violência.

Com Informações do site ETAPA INFANTIL – Traduzido por – SÓ ESCOLA.



3 Comments

  1. Hj se utiliza vários nomes para falta de respeito e de caráter é um deles é bullyng, apesar de essa ser uma forma de não respeitar o próximo, ainda acredito que os pais não são mais educadores dos seus filhos promovendo assim cada vez atitudes de desrespeito como o bullyng, e acho muito perigoso essa falta de respeito que hj há com todas as pessoas, especialmente com essa geração sem controle que a sociedade vem formando.

  2. Hj se utiliza vários nomes para falta de respeito e de caráter é um deles é bullyng, apesar de essa ser uma forma de não respeitar o próximo, ainda acredito que os pais não são mais educadores dos seus filhos promovendo assim cada vez atitudes de desrespeito como o bullyng.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *