Estudante passa em 1º lugar no curso de medicina da UFC e conta sobre preparação para Enem: ’16 horas de estudo e 200 questões por dia’

Giovanna Azevedo Sousa mora em Sobral, região norte do Ceará, e revela rotina intensa de estudos nos últimos dois anos para conseguir realizar o sonho de ser médica.

A estudante Giovanna Azevedo Sousa, de 18 anos foi aprovada em 1º lugar no curso de medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) em Sobral, no norte do Ceará. O resultado foi divulgado nesta terça-feira (22). Para conseguir a pontuação de 836,36 ela afirma que chegou a se dedicar cerca de 16 horas de estudos por dia durante as quais resolvia mais de 200 questões, além de redigir até cinco redações por semana.

“Tive várias rotinas diferentes ao longo desses dois últimos anos de preparação (3º ano do ensino médio e um ano de cursinho preparatório) que eu adaptava de acordo com as minhas metas, mas a que de fato fez com que eu chegasse ao primeiro lugar foi a última, de cerca de 16 horas de estudo por dia, em que eu acordava 4 horas da manhã e ia dormir 21h30, 22h por aí”, explica.

Apesar de ter nascido em Sobral, Giovanna passou quase toda a infância na cidade de Frecheirinha, onde mora a maior parte da família. Aos 13 anos ela voltou a Sobral para continuar os estudos em uma escola particular. Foi lá que recebeu os primeiros incentivos para escolher a medicina como profissão para a vida.

“A adaptação não foi tão complicada como eu achei que seria, já que a minha família veio junto comigo e sempre esteve do meu lado, nunca deixando eu desistir dos meus estudos. Vim pra Sobral no meu 8º ano, mas eu só fui de fato conhecer a disciplina, o foco e a determinação nos estudos quando eu entrei para o colégio onde estudei e pude contar com o apoio de todos os funcionários, que me abriram os olhos para a medicina”, revela.

Além do bom desempenho na média geral das provas, a estudante se destacou também na redação do exame. “A minha nota de redação, 980, foi fruto de muito treino com os professores Hermeson Veras e Augusto Melo aos quais eu sou grata por sempre corrigir os meus erros e me preparar para qualquer tema”, agradece.

Ajudar as pessoas

Os pais sempre estiveram presente na rotina da jovem. Eles a acompanharam durante todo o ciclo escolar nas duas cidades onde ela precisou morar. Hoje concursados, eles serviram de exemplo para que a estudante pudesse também alcançar o objetivo de ser médica.

“Sem nenhuma dúvida a minha família foi o que me manteve de pé, não teve nenhum dia em que eles não me incentivaram. Além do exemplo que meus pais me deram, porque foi estudando para concursos que meu pai e a minha mãe conseguiram passar um dia e hoje sustentar a nossa família,” se orgulha.

Com a vaga conquistada depois de muitos dias e noites de renúncias para se dedicar aos livros, a futura médica espera ajudar o máximo de pessoas possível, além de cada vez mais engrandecer a família.

“Eu espero conseguir viver todas as experiências que esse curso oferece. Conseguir, dando um passo de cada vez, ser alguém que possa ajudar as pessoas, fazer a diferença, trazer orgulho pra minha família e honrar a graça que Deus me proporcionou”, diz.

Dicas para a prova

Giovanna aproveitou a oportunidade para revelar alguns passos que ela resolveu seguir para se dar bem nas provas. Uma das táticas usada por ela é começar pela redação e revisar muitas vezes as questões.https://ab6707106e6de380570c3ffd7c4edaba.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

“No primeiro dia de Enem eu começo sempre com o rascunho da redação, depois faço as 45 questões de linguagens, leio e releio o meu rascunho, faço as 45 de humanas, passo a limpo minha redação e reviso as questões que eu tive mais dificuldade. No segundo dia eu começo por matemática, depois vou para ciências da natureza e antes de marcar o gabarito eu tento revisar o máximo de questões, principalmente as que considero mais fácil”, revela.

Para os candidatos que não conseguiram passar, ela aconselha que não desistam nunca de tentar, tantas vezes forem preciso, além de nunca deixar de ter esforço e muita dedicação e não se deixar abater com as quedas pelo caminho.

“Não desista, a universidade pública às vezes parece um sonho gigante, distante e fora da nossa realidade, mas o nosso esforço e a nossa dedicação são recompensados. Eu sou a prova disso, saí de 642 pontos no meu primeiro Enem pra 836, grata pelas quedas que levei para poder entender a importância de levantar e seguir”, diz.



  • Leave a Comment