Tenha muito cuidado com seus filhos … Existem monstros disfarçados de pessoas


Não. Nem todo mundo é uma boa pessoa e nem todo mundo quer bem para você e sua família. O mundo é muito grande e há muitas pessoas que simplesmente têm um lado sombrio em seus corações. Não deixe seus filhos sozinhos por um segundo em qualquer lugar. Nesta vida, existem monstros que fingem ser pessoas.

Infelizmente, na sociedade, existem casos conhecidos de abuso sexual de crianças. Quantas crianças foram estupradas e vivem com essas emoções devastadoras em seus corações? Crianças com muito medo de dizer a verdade. Embora seja impossível proteger 100% as crianças, uma vez que elas não podem ser colocadas em uma bolha de vidro, existem algumas medidas que todos os pais devem levar em consideração.

Vulnerabilidade e abuso

O maior risco para nossos filhos vem de amigos e familiares, não de estranhos. Entre 30 e 40% das crianças são maltratadas pelos membros da família. Até 60% são maltratados por pessoas em quem a família confia, incluindo parentes, treinadores, professores, clérigos e outros que estão em posições de autoridade, poder e influência. Pense em como é difícil para as crianças dizer “não” a essas pessoas, principalmente se o agressor descrever seu comportamento como “amoroso” ou “afetuoso” para confundir a criança.

Aqueles que abusam sexualmente de crianças são atraídos para locais onde podem ser facilmente alcançados, como ligas esportivas, centros religiosos para jovens, clubes e escolas. Eles se esforçam para ganhar a confiança dos pais e de outros membros da família. Imagine, por exemplo, a vulnerabilidade dos filhos de um dos pais solteiros quando um treinador ou professor se voluntaria para vigiá-los depois da escola ou durante o horário em que os pais precisam estar no trabalho.

Sinais de alerta predadores

Cuidado com os adultos que prestam muita atenção aos seus filhos, como tentar repetidamente entrar em situações pessoais (por exemplo, ao tentar passar muito tempo a sós com eles). Lembre-se também de que  esse comportamento pode estar acontecendo na Internet, não apenas em uma situação cara a cara.

Onde isso se torna complicado é com professores e treinadores, que mostram atenção sincera e desejam oferecer conselhos personalizados. É difícil distinguir o cuidado genuíno daqueles que atacam crianças.

Procure mudanças no comportamento, humor, atitude e desempenho escolar de seu filho. Os agressores assustam suas vítimas, dizendo-lhes que elas (a vítima) deixaram que isso acontecesse e que seus pais ficariam zangados; portanto, é melhor que eles “não digam isso”. Pior ainda, alguns abusadores ameaçam prejudicar os membros da família se a criança lhes disser …

Tenha muito cuidado com seus filhos ... Existem monstros disfarçados de pessoas

Prevenção

Primeiro, um treinador nunca deve estar em um vestiário sozinho com um atleta. Outros jogadores ou treinadores devem estar presentes. Isso não se aplica apenas a treinadores do mesmo sexo que o atleta, mas obviamente também em situações em que o treinador e o atleta são de sexo oposto.

Segundo, para os jogadores mais jovens, em particular, os pais devem estar presentes em todas as práticas. Isso é importante não apenas para atenuar as chances de abuso sexual, mas também para atenuar o abuso verbal que geralmente ocorre entre treinadores e atletas. Os treinadores geralmente ficam irritados com a presença dos pais, porque eles não querem interferência dos pais em seu estilo de treinamento. Se ele insistir para que você não esteja presente, retire seu filho de estar com esse treinador ou equipe.

Se você não tem evidências de abuso, mas está preocupado com a mudança de comportamento ou humor de seu filho, é melhor dar errado na direção certa removendo-o do treinador, equipe, clube ou situação.

Se seu filho mostrar algum dos sinais de alerta acima, tente conversar com ele sobre o que o está incomodando. As crianças vítimas de abuso geralmente se sentem mais à vontade para conversar sobre seus medos com um adulto de confiança, com medo de que seus pais tenham raiva ou vergonha deles. Portanto, peça a um parente ou amigo próximo que fale com confiança com seu filho se suspeitar de algo. Não fique desapontado se o seu filho não quiser falar sobre o que aconteceu com você, isso é normal.

Quando ele começar a falar sobre o que aconteceu com ele, verifique se ele expressa seus medos. Evite dizer coisas que o deixem desconfortável. Pode levar várias conversas até que seu filho possa fornecer todos os detalhes. Não julgue seu filho. Apenas tenha empatia e, se necessário, procure ajuda profissional para a criança. Psicólogos infantis são especialistas em ajudar crianças abusadas ou abusadas a lidar com seus medos e traumas.

Como pais, nós nos esforçamos para ensinar nossos filhos a cuidar do trânsito antes de atravessar, a usar sempre um cinto de segurança e a fechar as portas quando estiverem sozinhos em casa. É hora de estender essa vigilância a conversas francas sobre quais comportamentos dos adultos com os quais eles interagem são adequados e quais não são. Diga aos seus filhos que se voltem para você quando estiverem confusos ou preocupados com a interação de qualquer adulto com eles … Como existem adultos que fingem ser pessoas quando na verdade são monstros horríveis.



  • Deixe um Comentário