Artigos Educacionais, Lev Vygotsky

Estimulando a aprendizagem segundo Rubem Alves e Vygotsky


Estimulando a aprendizagem segundo Rubem Alves e Vygotsky – Artigo enviado pelo nosso parceiro “Professor Marcos L Souza – Pedagogo – Psicopedagogo – Educador.

Estimulando a aprendizagem segundo Rubem Alves e Vygotsky

De acordo com Rubem Alves, 1980:

O estudo da gramática não faz poetas. O estudo da harmonia não faz compositores. O estudo da psicologia não faz pessoas equilibradas. Assim como o estudo das “ciências da educação” não faz educadores. Logo, educadores não podem ser produzidos. Educadores nascem. O papel do professor é ensinar o aluno a pensar provocando a curiosidade do mesmo, no entanto não apenas ser um mero transmissor de conhecimentos, mas sim seduzir o aluno a ter “fome de aprender”.

O professor é aquele que instiga, problematiza, liberta. Liberta visto que no momento em que ele problematiza, deixa o educando livre para pensar, imaginar. Alves crítica o sistema escolar, que é burocrático e o compara à linha de montagem de uma fábrica, onde tudo é mecanicamente calculado para produzir um determinado resultado ou produto final. Dentro desse sistema ele critica principalmente o método tradicional. No ensino, para que os alunos possuam uma boa aprendizagem é necessário que haja uma relação dialógica entre professor e aluno, onde os conhecimentos são recíprocos. Sendo assim, é preciso que se entenda a sala de aula como um espaço de relações entre os sujeitos, objetos e símbolos, como meio social que obtém relacionar o conhecimento com suas experiências.

Ele também questiona a maneira pela qual o ser humano se apropria do conhecimento e conclui que o corpo é o ponto de partida para o ensino, pois os interesses do corpo estão relacionados à vida. O homem só aprende quando o que está sendo ensinado faz bem para o corpo e lhe traz prazer. Rubem Alves  se preocupa com a carência de entusiasmos e de amor dos próprios professores e mostra que essa ausência de interesse dos educadores por sua profissão coopera para que seus alunos não se sintam motivados a aprender e produzir novos saberes.

De acordo com as leituras a respeito de Rubem Alves, a escola tem que levar em consideração a criança e não o adulto, desse modo permitindo que a mesma expresse seus anseios, vontades, indagações acerca do conhecimento a ser construído no ambiente escolar.

CONTRIBUIÇÕES PARA A EDUCAÇÃO

Rubem Alves critica as propagandas de crianças deficientes, onde o intuito das mesmas era mostrar que era possível transformar crianças cegas em fazedoras de vassouras, ou seja, elas virariam seres sociais e receberiam reconhecimento público se, e somente se, fossem transformadas em meios de produção. “Conheço um mundo de artifícios de psicologia e de didática para tornar a aprendizagem mais eficiente. Mas as escolas não passam de instituições dedicadas à destruição das crianças.” (ALVES, 2001). Visto que as informações e os conhecimentos científicos são fáceis de encontrar (na internet e/ou nos livros), as escolas precisam ensinar os seus alunos a pensar, a aprender. É possível ver que suas teorias se aproximam da tendência escolanovista e renovadora da escola, na qual o lema é “aprender a aprender”.

O autor fala que o fracasso da educação brasileira pode ser visto como um sinal de esperança se comparado a um estômago exigente. Se estiver vomitando tudo, é porque sabe o que é bom, sabe que precisa melhorar o cardápio. O pior seria se a nossa educação aceitasse tudo, feito urubu. Desde cedo as crianças já aprendem que o tempo se divide em tempo de aflição e tempo de alegria, tempo de escola e tempo de férias, tempo de dor e tempo de prazer. Tem escolas que devoram as crianças em nome de rigor, de ensino apertado, de boa base, de preparo para o vestibular. Ninguém pensa em boa base em termos de prazer, alegria, espírito comunitário, sentimentos generosos e humanistas, sensibilidade artística entre outros. O que se vê é uma angústia geral e uma procura por escolas que apertam e desenvolvem o espírito individualista de competição e de deixar o outro para trás, como o exemplo do vestibular: Conhecimento idiota que a memória, sábia, se encarregará de vomitar o mais depressa possível. Dentro em breve nada mais restará. Apenas as cicatrizes. A ansiedade. Os olhares tristes e acusatórios dos pais. O dinheiro perdido. As recriminações. E o terrível sentimento de derrota. Como se a vida deixasse de fazer sentido, pois todos os rituais preparatórios diziam que entrar na Universidade era a única coisa que importava. Eles contam às cabeças que ficaram. Nada dizem daquelas que rolaram pelo chão. […] Os vestibulares instauram o ódio entre pais e filhos. (ALVES, 1980). Os exames vestibulares são como instrumentos de terror que determinam os rumos da educação com muito mais poder que todas as nossas leis. Rubem Alves (1980).

Estimulando a aprendizagem segundo Rubem Alves e Vygotsky

Rubem também estabelece certa relação com os temas do psiquismo, processos intelectuais, emoções, linguagem e atividades do desenvolvimento humano que foram desenvolvidos num segundo momento dos seus estudos. Segundo Vygotsky o homem não pode ser estudado separadamente de suas ações sociais: A teoria histórico-cultural é a denominação usualmente dada à corrente psicológica que explica o desenvolvimento da mente humana com base nos princípios do materialismo dialético cujo fundador é L. S. Vygotsky. (LIBÂNEO, 2004). O dever da escola é de ensinar conhecimentos científicos, porém o mesmo deve se relacionar com os conhecimentos do cotidiano. Para que ambos coexistam e torne o conhecimento científico no âmbito escolar mais fácil e prazeroso de ser estudado, sendo o professor o mediador deste conceito, envolvendo os alunos. Assim como Rubem Alves afirma, essa teoria parte do pressuposto de que os alunos percebam que o conhecimento que é adquirido nas escolas vai além do espaço da sala de aula. Entendendo que a educação não é uma ciência independente e que a escola faz parte da sociedade no geral. Agregando diversos tipos de culturas, raças e ideias tendo-os como desafios para satisfazer a todos, deixando de existir em si para si. Na educação, não basta apenas conhecer os dados e as informações de maneira isolada. Para que os conhecimentos adquiram sentido aos jovens, é necessário situá-los no contexto mais amplo. É necessário, pois, descobrir o que une os objetos de conhecimento entre si a fim de que tomem sentido no todo de que fazem parte. Umas das formas de promover o desenvolvimento da inteligência geral é, incentivar o aluno à curiosidade, à interrogação, à dúvida, à atividade crítica, mas também à solução de questões propostas pelas disciplinas escolares, cujo conteúdo, envolvendo a indução, a dedução, a discussão, pode ou não estar ligado à vivência do educando.

A teoria histórico-cultural de Vygotsky se baseia no método dialético da construção do conhecimento científico, onde o aluno no decorrer de sua vida cotidiana acumula conhecimentos e os leva para a vivência da escola, e inserido na prática escolar este aluno desaprende e reaprende de forma científica tudo aquilo que havido conhecido sem a intervenção de seu professor. Por meio deste processo, Vygotsky apresenta uma nova perspectiva sob a aprendizagem analisando que dessa maneira o professor leva a criança a pensar e explicar as questões, pois o professor trabalha com o aluno sendo um interventor de seu conhecimento.

Rubem Alves deixou inúmeras colaborações para com a educação, fazendo também um paralelo com a teoria histórico-cultural de Vygotsky e seus conceitos defendidos. Mesmo que Rubem Alves não escreva de forma direta para a educação, seu trabalho acaba se voltando para a mesma, devido a sua abordagem, sua linguagem humanística e espiritualista da educação. Segundo ele, o professor deve ser o mediador do conhecimento no processo de ensino-aprendizagem, fazendo com que o aluno aprenda a descobrir o mundo, para que se tenha paixão naquilo que se está aprendendo. Propõe que o educador olhe para cada aluno e suas respectivas especificidades, pois ele está lidando com humanos e não com números abstratos. Por isso, entendemos que Rubem Alves seja uma boa referência aos educadores a refletirem o seu fazer pedagógico e o dia a dia da atividade escolar.


Estimulando a aprendizagem segundo Rubem Alves e Vygotsky – Referencias

  • LIBÂNEO, J. C. Vygotsky, Leontiev, Davydov – três aportes teóricos para a teoria históricocultural e suas contribuições para a didática. Revista Brasileira de Educação. Set /Out /Nov
  • /Dez. 2004. nº 27. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n27/n27a01.pdf>. Acesso em: 05 de agosto de 2012.
  • Pensadores da educação, Rubem Alves. Disponível em: <http://www.pedagogia.seed.
  • pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=47>. Acesso em: 09 de agosto de 2012.
  • Anais da Semana de Pedagogia da UEM. Volume 1, Número 1. Maringá: UEM, 2012 8
  • Conversa com educadores. A casa de Rubem Alves. Disponível em:
  • <http://www.rubemalves.com.br/conversacomeducadores.htm>. Acesso em: 09 de agosto de 2012.
  • JÚNIOR, Arnaldo Nogueira. Resumo biográfico e bibliográfico. Disponível em:
  • <http://www.releituras.com/rubemalves_bio.asp>. Acesso em: 08 de agosto de 2012.
  • COTES, Paloma. Aprender para quê? Disponível em: <http://revistaepoca.globo.
  • com/Epoca/0,6993,EPT879723-1666-1,00.html>. Acesso em: 09 de agosto de 2012.
  • ALVES, Rubem. Estórias de quem gosta de ensinar. São Paulo: Papirus, 2001.
  • ALVES, Rubem. Conversas com quem gosta de ensinar. São Paulo: Cortez, 1980



One Comment

  1. Felizmente para essas mulheres e para os homens, está disponível Titan Gel, o produto que promete dar uma volta de 180º à sua vida sexual. Este é um produto de renome internacional, citado por algumas das publicações mais importantes do mundo – Men’s Health, Maxim e Playboy – e endeusado por atores da indústria pornográfica. Trata-se de um gel muito fácil de aplicar e que garante resultados evidentes após um uso diário e cuidado. http://titangel-in-portugal.com/#4 Muitos produtos químicos são colocados nesses produtos, causando danos globais ao seu corpo. Titan Gel é o único produto 100% natural que traz resultados reais e mais divertido em sua vida – como muitos homens que usaram pode testemunhar. Além disso, o preço é muito atraente, e atualmente por um tempo limitado é reduzido em 50%. Quer ter um nível alto de confiança e ter as mulheres a pedir por mais? Experimente Titan Gel e muda a sua vida sexual para sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *