Alunos, Alunos Especiais, ATIVIDADES, Deficiências, Dicas, Dicas para Educadores, Educação Especial

Estratégias para trabalhar com alunos com deficiência intelectual


Alunos com deficiência intelectual:

Pessoas com deficiência intelectual ou cognitiva costumam apresentar dificuldades para resolver problemas, compreender ideias abstratas (como as metáforas, a noção de tempo e os valores monetários), estabelecer relações sociais, compreender e obedecer a regras, e realizar atividades cotidianas – como, por exemplo, as ações de autocuidado.

A capacidade de argumentação desses alunos também pode ser afetada e precisa ser devidamente estimulada para facilitar o processo de inclusão e fazer com que a pessoa adquira independência em suas relações com o mundo.

As causas são variadas e complexas, sendo a genética a mais comum, assim como as complicações perinatais, a má-formação fetal ou problemas durante a gravidez.

A desnutrição severa e o envenenamento por metais pesados durante a infância também podem acarretar problemas graves para o desenvolvimento intelectual.

Alunos com deficiência intelectual: Estratégias variadas para trabalhar

Alunos com deficiência intelectual: Estratégias variadas para trabalhar

Selecionamos nesta postagem 8 dicas/estratégias diversas para trabalhar com alunos com deficiência intelectual. Confira:

VEJA TAMBÉM: Atividades adaptadas para crianças com deficiência intelectual

Estratégias diversas:

  1. Use brinquedo para incentivar a leitura, associação de palavras x objetos e a categorização;
  2. Use fita crepe, tintas e carrinhos, carimbos e massinha para estimular coordenação viso-motora, aprimorar habilidades de preensão ;
  3. Geoplano para desenvolver aspectos de percepção, elaboração, espaço, formas e medidas, reprodução de imagens;
  4. Objetos do interesse e de coleções da criança para categorização, classificação, agrupamento, ordenação, noções de conjunto e quantidade;
  5. Objetos reais e do cotidiano para desenvolver percepções e compreensão de medidas e suas variações de forma significativa, valorizando os registros através de desenho para depois atribuir significado numérico;
  6. Encartes de revistas para criar quebra cabeças e possibilitar percepções de posições no espaço;
  7. Personagens do interesse para que a criança desenhe e construa seu silabário e jogos temáticos favorecendo a alfabetização;
  8. Pastas com plástico, atividades em sulfite envoltas em papel contact  e canetão de lousa branca para riscar,brincar e apagar para uso com outras situações e crianças.

VEJA TAMBÉM: MEC disponibiliza material sobre atendimento de crianças com DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Como lidar com alunos com deficiência intelectual na escola?

Segundo a psicopedagoga especialista em Inclusão, Daniela Alonso, as limitações impostas pela deficiência dependem muito do desenvolvimento do indivíduo nas relações sociais e de seus aprendizados, variando bastante de uma criança para outra.

Em geral, a deficiência intelectual traz mais dificuldades para que a criança interprete conteúdos abstratos. Isso exige estratégias diferenciadas por parte do professor, que diversifica os modos de exposição nas aulas, relacionando os conteúdos curriculares a situações do cotidiano, e mostra exemplos concretos para ilustrar ideias mais complexas.

Para a especialista, o professor é capaz de identificar rapidamente o que o aluno não é capaz de fazer.

O melhor caminho para se trabalhar, no entanto, é identificar as competências e habilidades que a criança tem. Propor atividades paralelas com conteúdos mais simples ou diferentes, não caracteriza uma situação de inclusão.

Não deixe de ver: Brinquedos ajudam formar a personalidade de crianças com deficiência mental e autismo

É preciso redimensionar o conteúdo com relação às formas de exposição, flexibilizar o tempo para a realização das atividades e usar estratégias diversificadas, como a ajuda dos colegas de sala – o que também contribui para a integração e para a socialização do aluno.

Em sala, também é importante a mediação do adulto no que diz respeito à organização da rotina. Falar para o aluno com deficiência intelectual, previamente, o que será necessário para realizar determinada tarefa e quais etapas devem ser seguidas é fundamental.

Deixe um comentário e compartilhe conosco suas experiencias e sugestões!!

Recomendamos para você:



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *