Início Dicas 25 dúvidas de todo recém-formado

25 dúvidas de todo recém-formado

51
0
COMPARTILHAR
A faculdade terminou e com ela muitas dúvidas em relação ao futuro e a carreira surgem na vida do recém-formado. Nem todos terminam seus cursos trabalhando na área que escolheram ou ganhando um salário razoável como esperavam para a profissão.
25 dúvidas de todo recém-formado
Você não é único que se sente perdido ao se formar, a maioria dos recém-formados não consegue emprego de imediato, o que fica ainda mais difícil caso eles não tenham feito um estágio durante os estudos.
Em meio aos muitos dilemas que os recém-formados enfrentarão, como ter escolhido a área certa ou se realmente valeu a pena tanto esforço, a busca por respostas será um dos seus maiores desafios por algum tempo.

Para te mostrar que você não está sozinho nessa jornada como um profissional graduado, o site Canal do Ensino selecionou alguns dos principais questionamentos que circundam o pensamento de todo recém-formado, confira:

Veja 25 dúvidas de todo recém-formado

1 – Me formei, o que eu faço?

Ser diplomado te abrirá portas, dentro e fora da área em que escolheu para estudar, mas não é um passe de mágica para o sucesso. Nenhuma empresa vai bater na sua porta implorando pelos seus conhecimentos.
Então tenha em mente que: se você não correr atrás, não vai conseguir. A graduação é só o primeiro passo da sua carreira profissional, então o caminho ainda é longo e nada cai do céu.

2 – Como será minha vida daqui para frente caso eu não arranje um emprego na área logo?

Essa é uma das dúvidas que surge para o recém-formado quando ele conclui seu curso. Nem todos os estudantes tem oportunidade de já saírem da faculdade empregados e na área em que escolheram. Embora isso não seja o fim do mundo, isso pode afetar a carreira profissional do indivíduo, que sente como se tivesse errado na escolha.
Não é obrigatório terminar a graduação e já se tornar bem-sucedido e mesmo que demore para você encontrar seu caminho na profissão uma hora dará certo. Se quiser descansar um tempo depois da faculdade, você pode. Afinal, a pressão dos estudos é alta, principalmente, nos últimos semestres, onde o acúmulo de atividades e provas, unidos ao temido trabalho de conclusão de curso, o amado e querido TCC que todo estudante precisa fazer, torna-se ainda mais estressante que o normal.

3 – Posso trabalhar em uma área fora da minha?

Busque um trabalho na sua área e fora dela também, porque isso não significa que você passará o resto da vida trabalhando em uma profissão que não escolheu, pode ser um período de transição como pode ser algo no qual você se encontre e goste. Não há problema nenhuma não conseguir emprego na área logo de cara.

4 – E se não der certo, o que eu posso fazer?

Hoje em dia é muito mais fácil fazer uma faculdade do que no tempo em que nossos pais, e até mesmo avôs estudavam. É possível conseguir bolsas integrais e parciais pelo ProUni, financiamento estudantil pelo Fies, ou entrar em uma universidade federal por intermédio do Sisu, tudo isso utilizando a nota do Enem.
Por isso, muitos estudantes ao concluírem o ensino médio já vão direto para uma universidade, onde se formam cada vez mais cedo. Sendo assim é totalmente comum que os recém-formados se sintam perdidos em relação ao futuro, sem ideia do que fazer caso a escolha dê errado em alguma etapa, mas ainda dá tempo para tentar outros caminhos.

5 – Qual o lado bom de ter um diploma?

Vamos supor que você não consiga um emprego na área em que se formou, mas muitas oportunidades tentadoras surjam por conta da sua graduação em outros setores. Pois bem, isso é resultado do seu diploma na profissão x, que pode resultar na entrada em áreas semelhantes.
Dependendo do curso escolhido, o campo de atuação é bastante amplo que pode lhe garantir diversas áreas em que a sua formação também é válida e necessária. Mesmo que não seja o seu principal objetivo, agarre porque poderá te levar até lá.

6 – Vou conseguir conciliar trabalho com a minha vida pessoal?

Quando escolhemos um curso ao longo dele vamos descobrindo bem mais do que a nossa ideia inicial sobre. Uma dessas descobertas envolve a demanda de trabalho. Algumas profissões tem uma rotina mais amena enquanto outras vivem constantemente na correria. De todo modo, em qualquer que seja o campo de atuação é preciso conciliar sua rotina de trabalho com a vida pessoal.
Isso não é um bicho de sete cabeças e é só você fazer uma comparação bem simples que, provavelmente, viveu em alguma etapa do seu curso: como você deu conta dos estudos, trabalho e se manteve sociável durante esse tempo? Se você conseguiu conciliar tudo isso, tirará de letra o equilíbrio entre trabalhar e viver.

7 – Fiz minha faculdade pelo Fies, como vou conseguir pagá-la?

O Fies é um programa federal de financiamento para a educação. Ele funciona de seguinte maneira: você paga os juros a cada três meses durante o curso, com um valor específico e tem até 12 anos para quitar o financiamento, em parcelas que só começam a valer depois que você terminar o seu curso, negociando a quantidade de vezes em que deseja quitar o plano.
Nem sempre o retorno financeiro no início de nossas carreiras é como o esperado, mas quer uma dica prática? Guarde dinheiro durante os anos que estuda. Tente reservar metade do valor da mensalidade do seu curso todos os meses, ao final da graduação você terá um bom dinheiro e poderá dar uma entrada no valor do financiamento, o que deixará as parcelas mais suaves, por exemplo e te dá a chance de não ficar amarrado com isso por 12 anos.

8 – Ter um estágio no currículo me ajudará?

Isso pode ser vantajoso como também não pode. Não só você, mas centenas de outros estudantes em busca de emprego também fizeram estágios durante o curso. Para a empresa o que impressiona não é o estágio em si ou o local onde você estagiou, mas sim as atividades do trabalho.
Talvez até te aceitem em um processo seletivo por verem em seu currículo o nome de uma grande companhia, mas você realmente consegue realizar as atividades que a função exige? Trabalhar em uma empresa conhecida não significa que você tem prática e uma hora o seu superior perceberá isso.
Sendo assim, aprenda ao máximo e extraia tudo que conseguir de onde trabalhar, independente se foi uma empresa gigante ou de atuação menor, é isso que estão procurando em você: aprendizado, ideias e experiência, que você deverá transmitir que sabe em uma entrevista.

9 – Minha experiência nas aulas ajudará no mundo real?

Você só aprende na prática, não adianta. Na faculdade é dada uma base do que você encontrará no mercado de trabalho, simulando situações que podem acontecer na sua profissão, mas, mesmo que o professor passe diversos trabalhos práticos e teóricos, seu aprendizado só vai ser melhor quando estiver com a mão na massa.
Por isso os estágios são tão importantes, porque é só por intermédio deles que o estudante realmente tem vivência com a área que está aprendendo. Algumas instituições até exigem como matéria os estágios.
Imagine só um médico que nunca viu nada fora da sala de aula te atendendo, dá medo não? Agora você entendeu a importância da prática.

10 – Não tenha medo de errar

Essa não veio como pergunta, mas com certeza você como recém-formado já teve uma ideia boa e guardou para si, por medo talvez e algum colega de equipe pensou em algo parecido e expôs, acontece.
No trabalho, você será constantemente desafiado e se expressar, mesmo que sinta que aquilo não é viável, será bom. Talvez você se surpreenda e sua ideia seja exatamente o que estão buscando.

11 – Devo fazer uma pós-graduação?

Infelizmente não conseguimos aprender tudo durante o curso. As aulas ensinam um pouco de tudo e algumas vezes de maneira bastante superficial. Não é que você escolheu uma instituição ruim, é que simplesmente não há tempo hábil para que seja passado tudo de uma forma mais profunda.
A pós-graduação nada mais é que uma especialização em determinada área, que pode te garantir um currículo mais robusto e um norte para entrar no mercado de trabalho – você não vai dar tiro no escuro, apostando suas fichas no que aparecer que seja da área.
Se especializar é uma boa, mas avalie também o retorno do investimento.

12 – Preciso conhecer outras línguas?

Pode ser que você jamais use uma outra língua fora o português, mas ter conhecimento, muitas vezes avançado, te abrirá portas. 
Isso vale até mesmo para quem não é graduado em uma universidade.

13 – É uma boa ideia fazer uma nova faculdade?

Independente da sua idade, jamais será tarde para tentar. Se você tentou e não conseguiu o que buscava, aceitar e tentar novamente não deve ser encarado como fracasso, mas sim como uma nova oportunidade.
Se tentar outra carreira, pode unir essa graduação nova a antiga, buscando por algo que você goste e que precise também dos seus conhecimentos em outra área. Um professor de letras, por exemplo, pode expandir para uma graduação em pedagogia ou outra área de conhecimento. Só tenha certeza que você ainda tem chance de sucesso.

14 – Ter dinheiro ou fazer o que gosto e escolhi?

Essa dúvida você teve antes, durante e ainda vai te perseguir por muitos anos depois ao longo da sua vida. Antes de escolher uma profissão, para a qual você acabou de se formar, sua cabeça te questiona inúmeras vezes se não devia fazer primeiro algo que desse retorno financeiro para depois bancar os seus sonhos.
A verdade é que, quem faz o que gosta irá fazer muito bem, então não adianta de nada escolher uma carreira mais fácil e com retorno rápido, sem ter aptidão para ela. Pensa você um estudante de humanas fazendo contabilidade, pode ser que você pegue gosto, mas vai penar bastante pela falta de familiaridade com números.

15 – Sucesso tem a ver com retorno financeiro?

Jamais pense dessa forma! O retorno financeiro vai vir, mesmo que lento, mas ele vem. Entretanto, o sucesso nunca dependerá somente disso. Calcule seus resultados pelo que você irá conquistar ao longo da profissão, suas metas alcançadas, o reconhecimento e muitas outras coisas que a sua carreira vai te proporcionar. O dinheiro é só mais um fator, mas não o mais importante.

16 – Contrariei a vontade dos meus pais para seguir a minha, mas não saiu como esperado, e agora?

É inquestionável que pai e mãe sabem de tudo em relação a nossa vida, ainda mais porque eles nos conhecem muito bem. Se você escolheu uma área que não era do gosto deles não sinta isso como um erro, porque era o que você queria. E se ainda não deu certo, não quer dizer que nunca vai dar e muito menos que foi um erro.
A família sempre irá querer seu bem, mas as vezes a escolha final sempre tem de ser sua e, independente dela, precisa de muito mais do que decidir fazer uma faculdade da qual eles não queriam para decepcioná-los.

17 – Como consigo experiência?

Você só adquire experiência trabalhando, por isso os programas de estágio são importantes durante a graduação. Só que depois de formado não dá mais para trabalhar como estagiário, mas já ouviu falar de Trainee? Trainee é o cargo atribuído recém formados que serão treinados para ocupar cargos efetivos.

18 – Minha carreira me trará retorno algum dia?

Depende do tipo de retorno que você busca que pode ser financeiro, reconhecimento e muitos outros. Como motivação, adote a conduta de fazer o que gosta e ir melhorando para sempre ter um resultado positivo, seja qual for o retorno que você busca.

19 – Como ter certeza que escolhi certo?

Nenhuma decisão é totalmente correta, você só saberá se isso foi o certo se você conhecer a profissão mais a fundo.

20 – Acho que não sou apto ao curso que escolhi, o que faço?

Tenha certeza disso primeiro, se avalie e se conheça para realmente saber se a área que você tanto se esforçou para formar não é a sua melhor habilidade. Por isso, não deixe de procurar por estágios, conhecer mais da profissão e colocar em prática, para se certificar que não há como você se dar bem nessa área.

21 – O que esperam de mim?

Os gestores irão buscar por alguns aspectos que devem estar presentes em você, independente da área, como interesse para trabalhar, espírito de equipe e liderança, facilidade com problemas e para trabalhar sob pressão, entre outras coisas.

22- Fazer uma pós-graduação ou começar a trabalhar?

Avalie o tipo de profissional que você quer ser, considerando aonde você quer chegar. 
Fazer uma pós-graduação ou começar a trabalhar?
Existem carreiras com foco maior na academia e outras que buscam por profissionais experientes, normalmente boa parte, veja o que lhe cai melhor para o momento.

23 – Devo me abrir para quais oportunidades?

Esteja aberto ao que der e vier em relação a sua área, mas não se limite apenas a ela depois de um tempo. Seja para fazer uma pesquisa ou um trabalho freelance, você nunca sabe o que isso resultará, então arrisque.

24 – Como montar um currículo?

Se espelhe os profissionais mais experientes e se precisar peça por orientação de alguém na área para te ajudar na tarefa. Certifique-se de apontar todas as suas qualidades e critérios favoráveis, mesmo aqueles que parecem óbvios. Veja 8 modelos de currículo para você baixar. 

25 – Como me preparar para as entrevistas?

Conheça a empresa, o que ela faz, tenha propostas criativas sobre o assunto e não se prenda a mesmices. 
Mostre o que você sabe e do que é capaz, mesmo que isso seja um desafio.
________________

O Canal do Ensino é um Portal dedicado a educação, que está no ar desde janeiro de 2012. O portal é focado em compartilhar notícias sobre tudo o que há de mais relevante no universo educacional ensino. Além disso, estão disponíveis no portal, cursos gratuitos, livros de domínio público, vídeo aulas, dicas de concursos, bolsas de estudo, dicas para professores e estudantes, bem como conteúdo sobre redes sociais na educação e tudo o que há de mais atual em tecnologia educacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here