Início Derivação Formação das Palavras – Derivação

Formação das Palavras – Derivação

18
0
COMPARTILHAR

 
FORMAÇÃO DAS PALAVRAS – DERIVAÇÃO

Antes de iniciarmos o estudo da formação de palavras, é fundamental observar que na língua portuguesa, há a seguinte classificação de palavras:
a) Palavras primitivas: são palavras que não provêm de outras.

Exemplos:
casa, leite, flor

b) Palavras derivadas: são palavras que provêm de outras.

Exemplos:
caseiro, leiteiro, floricultura

c) Palavras simples: são palavras que possuem um só radical.

Exemplos:
boi, cavalo, água

d) Palavras compostas: são palavras que possuem mais de um radical.

Exemplos:
couve-flor, passatempo, água-marinha

Formação das Palavras
Existem dois processos básicos pelos quais se formam as palavras: a derivação e a composição. A diferença entre ambos consiste basicamente em que, no processo de derivação, partimos sempre de um único radical, enquanto no processo de composição sempre haverá mais de um radical.
Derivação
Derivação é o processo pelo qual se obtém uma palavra nova, chamada derivada, a partir de outra já existente, chamada primitiva. Observe o quadro abaixo:
Primitiva Derivada
mar marítimo, marinheiro, marujo
terra enterrar, terreiro, aterrar
Observamos que “mar” e “terra” não se formam de nenhuma outra palavra, mas, ao contrário, possibilitam a formação de outras, por meio do acréscimo de um sufixo ou prefixo. Logo, mar e terra são palavras primitivas, e as demais, derivadas. 
Tipos de Derivação
Derivação Prefixal ou Prefixação
Resulta do acréscimo de prefixo à palavra primitiva, que tem o seu significado alterado. Veja os exemplos:

crer- descrer
ler- reler
capaz- incapaz

Derivação Sufixal ou Sufixação
Resulta de acréscimo de sufixo à palavra primitiva, que pode sofrer alteração de significado ou mudança de classe gramatical.
Por Exemplo:

alfabetização

No exemplo acima, o sufixo -ção  transforma em substantivo o verbo alfabetizar. Este, por sua vez, já é derivado do substantivo alfabeto pelo acréscimo do sufixo -izar.
A derivação sufixal pode ser:
a) Nominal, formando substantivos e adjetivos.
Por Exemplo:

papel – papelaria
riso – risonho

b) Verbal, formando verbos.
Por Exemplo:

atual – atualizar

c) Adverbial, formando advérbios de modo.
Por Exemplo:

feliz – felizmente

Derivação Parassintética ou Parassíntese
Ocorre quando a palavra derivada resulta do acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo à palavra primitiva. Por meio da parassíntese formam-se nomes (substantivos e adjetivos) e verbos.
Considere o adjetivo ” triste”. Do radical “trist-” formamos o verbo entristecer através da junção simultânea do prefixo  “en-” e do sufixo “-ecer”. A presença de apenas um desses afixos não é suficiente para formar uma nova palavra, pois em nossa língua não existem as palavras “entriste”, nem “tristecer”.
Exemplos:
Palavra Inicial
Prefixo Radical Sufixo Palavra Formada
mudo e mud ecer emudecer
alma des alm ado desalmado
Atenção!
Não devemos confundir derivação parassintética, em que o acréscimo de sufixo e de prefixo é obrigatoriamente simultâneo, com casos como os das palavras desvalorização e desigualdade. Nessas palavras, os afixos são acoplados em sequência: desvalorização provém de desvalorizar, que provém devalorizar, que por sua vez provém de valor.
É impossível fazer o mesmo com palavras formadas por parassíntese: não se pode dizer que expropriarprovém de “propriar” ou de “expróprio”, pois tais palavras não existem. Logo, expropriar provém diretamente de próprio, pelo acréscimo concomitante de prefixo e sufixo.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorREGÊNCIA NOMINAL E VERBAL
Próximo artigoARTIGO
Meu principal objetivo é contribuir com a educação e melhorar o aprendizado dos alunos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here