Escola em Família: Estreitando os laços entre ESCOLA e a FAMÍLIA

Temática: Escola em Família

Introdução: A parceria entre escola e família sustenta um meio de que ambos em seus distintos   papéis   e   missão,  partilham de objetivos comuns que se resume no sucesso   da formação integral de suas crianças. Assim, sob este prisma este projeto trabalha   algumas estrategias para que as familias sejam integradas no ambiente familiar e se envolvam na aprendizagem dos filhos        

Justificativa: Atualmente, percebe-se que realidade social brasileira a familia é diversa, não cabedo mais a familia nuceada, esta complexidade contemporanea gera a transferencia de responsabilidade educativa para os atores ai envolvidos.É fato é que poucas instituições conheceram mudanças tãosignificativas como a família e procuram conectar esforços nem formatos ousados de educação. procurando condições positivasna relação família-escola, neste sentido, o Projeto Escola em Família procura integrar ações de troca de experiências, discussões e espaço de construção do estreitamento da relação Escola e Família, muitos sentimentos participam simultaneamente dessas relações.

 E estes serão alvos de nosso projeto, pois concebemos que a educação como direito significa compreender que as crianças portadoras deste direito e do compromisso de efetiva-lo. Assim, a relevância do mesmo compete na atuação dos eixos do trabalho educativo na responsabilização deste pela instituição educativa e família. A implantação de uma concepção de educação construída no coletivo configura justificativa na educação integral da criança, abordando formas amplas tendo a escola como espaço aberto de inovadoras atividades, onde competência, sensibilidade e compromisso precisam caminhar juntos para que a construção de um trabalho pedagógico de qualidade flua, e que envolva os pais, na garantia  dos direitos da criança.

Objetivo Geral: Intergrar Escola e Família na responsabilização do desenvolvimento escolar dos alunos a partir da cooperação entre as instituições e na propositura de atividades integradoras.

Objetivos Específicos:

Discutir ações conjuntas com os pais a fim de sanar as dificuldades das crianças com dificuldade na aprendizagem;

Favorecer momentos de integração entre os pais, professores e funcionários em geral.

Fundamentação Teórica:

A educação desenvolvida no âmbito da escola e família como processos distintos contam com métodos e práticas diferentes, cumprindo suas funções sociais, políticas e educacionais, ambas coadunam para a formação do sujeito, seu desenvolvimento social e cognitivo e o sucesso escolar, ou seja, enquanto cidadão crítico e atuante na sociedade. A relação escola e família busca criar um espaço de diálogo sobre temas pertinentes ao desenvolvimento e aprendizagem das crianças-alunos. Neste sentido, ao tratar esta temática como campo de intervenção, é preciso considerar que todos: escola, familiares, professores e comunidade em geral participam desta construção.

É preciso fundamentar o trabalho a partir do que a família espera da escola e o que a escola espera da família? Esse primeiro passo age como propulsor das responsabilidades que compete a cada um segmento. A família é uma realidade sociológica e constitui a base do Estado. Tradicionalmente a família era descrita com o modelo de família nuclear burguesa ou conjugal moderna.

“O Código Civil de 1916 e as leis posteriores, vigentes no século passado, regulavam a família constituída unicamente pelo casamento, de modelo patriarcal e hierarquizada, ao passo que o moderno enfoque pelo qual é identificada tem indicado novos elementos que compõem as relações familiares, destacando-se os vínculos afetivos que norteiam a sua formação”. (GONÇALVES, 2005, p. 16).

As transformações sociais, construídas na segunda metade do século XX e reconstruídas nesse início do século XXI, redefiniram também os laços familiares. Assim, ao longo a década de 90 houve grande tendência na diminuição da composição familiar e o aumento da diversidade de grupos familiares: Família Nuclear – pai, mãe e filhos; Famílias Monoparentais- decorrentes de divórcio ou separações; Uniões consensuais- Casais que preferem morar juntos, sem formalizar sua união. Casais que preferem morar em casas separadas; Casais sem filhos por opção; Famílias Unipessoais- Denominação atual para aquelas pessoas que optam por ter um espaço físico individual, onde optam por ter um espaço físico individua; Família por Associação- compostas por amigos que formam uma rede de “parentesco” baseada na amizade (PORTES; ROCHA, 2008). Por isso, a perspectiva de instituição social decisiva ao desenvolvimento do processo de integração/inclusão social de seus membros.

“As alterações introduzidas visam preservar a coesão familiar e os valores culturais, conferindo-se à família moderna um tratamento mais consentâneo à realidade social atendendo-se às necessidades da prole e de afeição entre os cônjuges e os companheiros e aos elevados interesses da sociedade”. (GONÇALVES, 2005, p. 6).

O pluralismo familiar contemporâneo constitui-se em si um desafio à instituição escolar, que devido às mudanças sociopolíticas, reconfigura seu bojo de atuação, nos modos de conceber a educação. Portanto nesta métrica, a Escola é compreendida como: o espaço no qual se deve favorecer, a todos os cidadãos, o acesso ao conhecimento e o desenvolvimento de competências, ou seja, a possibilidade de apreensão do conhecimento historicamente produzido pela humanidade e de sua utilização no exercício efetivo da cidadania (BRASIL, 2004). Neste sentido, reinventar o processo educacional a fim de aproximar-se de uma formação plena requer incansáveis reflexões-ações sobre sua condição.

Dessa forma, pensar currículo associado apenas à técnica, ao planejamento do que deve ser ensinado, às inúmeras diretrizes e documentos oficiais, ou pensa-lo a partir da ampliação do campo conceptual e articulá-lo a outros conceitos como cultura, representação, poder ou identidade, são posturas e escolhas cujas implicações políticas e pedagógicas são bem diferentes. Elas traduzem a própria compreensão do significado de escola e das relações que esta instituição estabelece com a sociedade na qual está inserida (GABRIEL, 2002, p.29).

Deste modo, quando incluídos as famílias nas instituições educativas uma multiplicidade de formas de aprendizagem, visões de mundo surgem como possibilidades de trabalho exitoso. Neste ponto, destacam-se os projetos, pois ofertam uma configuração reflexível, dialógica e aberta, o que permite o envolvimento no processo de desenvolvimento e de formação de suas crianças –alunos. A parceria desenvolvida por projetos devem ir além da retórica ou uma prática aberta a iniciativas aleatórias. Neste contexto, a organização com objetivos claros e procedimentos impacta e promove a relação de pertencer social, pois o envolvimento emocional faz com que ambos desenvolva responsabilidade ao processo educacional das crianças-alunos.

Metodologia: 

 Ao convite da escola os pais serão recebidos para uma manhã de atividades integradas com a Escola e seus filhos. Assim, depois das boas vindas e da exposição do projeto será realizada uma atividade de sensibilização quanto à diversidade de famílias e de alunos que convivem na instituição escolar.

  • Aquário da diversidade: Esta atividade consiste em dispor de papeis variados, lápis grafite e de cor para os pais e pedirem que confeccionem um peixinho ao som da músicaPeixe vivo. Ao término devem colar no aquário deito de papel pardo fixado na parede. Em seguida, terá inicio uma conversa sobre respeito às diferenças individuais.

Todos os peixinhos estão iguais? Por que são diferentes? Todos os peixinhos estão indo para mesmo lado? Por quê? O que o aquário representa? Quem são os peixinhos? Como convivermos, sabendo lidar com essas diferenças, em casa e na escola? Esta atividade objetiva sensibilizar para o fato que nem todos os alunos aprendem iguais e por isso a união entre Pais e Escola pode propiciar aprendizagens mais significativas.

Em seguida os pais serão convidados a se agruparem pela turma de seu filho, onde junto a eles desenvolverão a atividade seguinte:

  • Entrevistar com a família do amigo: Esta atividade visa uma interlocução maior entre os pais da referida turma, este será um momento de 40min onde os pais serão entrevistados pelos amigos dos filhos, tipo: Você acha seu filho responsável? Se ele tira uma nota, o que acontece? Você o ajuda nas atividades escolares? Esta atividade visa o intercâmbio entre as posturas familiares em relação às escolares.
  • Lanche em Família: momento nutritivo com os pais e alunos onde poderão dialogar livremente. Após o lanche em família os pais participar da próxima e última atividade deste dia.
  • Golaço de conhecimento: Os pais e os filhos serão encaminhados a quadra da escola, onde por livre e espontânea vontade montarão quatro equipes composta de 5 adultos e 5 crianças respectivamente. Os demais participantes ficarão na torcida. Realizada a divisão, a partida de futebol será composta de 15 mim, assim, serão duas rodadas para as quatro equipes sendo 10mim de intervalo. O time vencedor será o que tiver o maior número de gols no placar, porém o foco é o momento de descontração.
  • Memorial do dia: Como atividade a ser sistematizada em casa os alunos e seus pais produzirá em conjunto um memorial deste dia, falando da importância deste momento, o que ele significou, se gostou ou não, se repetiria? A ser entregue para o seus respectivos professores.

O segundo momento do projeto Escola em Família, será o da exposição em um mural dos memorandos do primeiro momento, separados por turmas, os pais serão recebidos e será facultado um momento para que possam ler e observar os memorando da turma de seu filho como os demais. Em seguida os pais escolherão uma turma que não seja de seu filho para realizarem a atividade seguinte:

  • Leitura e contação de história: Os pais serão convidados a lerem historias para as turmas da escola de um jeito diferente, por isso, eles terão 10min para lerem a história de prepararem algo criativo, serão ofertados materiais, tipo: fantoches, avental de histórias, sucatas, papéis, brinquedos, etc.
  •   Brincando de inventar: Com a ajudar da professora (o) da referida turma os pais e alunos serão agrupados e terá que apresentar a turma uma brincadeira inventada ou adaptada por eles com base na história lida, em seguida apresentarão à turma a brincadeira e como se realiza, vivenciando a mesma com a sala.
  • Lanche em Família: momento nutritivo com os pais e alunos onde poderão dialogar livremente

Depois do lanche os pais irão à sala dos filhos para o desenvolvimento da próxima atividade.

  •  Percurso Maluco: Na sala a professora com giz colorido desenhará um percurso, e incluirá alguns obstáculos como: bambolês, caixas de papelão, etc. Os pais e seus respectivos filhos formarão duplas que serão amarradas ao tornozelo e terão que realizar o percurso desenhado no chão em menor tempo possível e sem cair, ganha a dupla que completar o percurso maluco em menos tempo. O objetivo desta atividade reside na união conjunta para a superação das dificuldades e que esta deve pauta-se em uma relação respeitosa e solidária.

 Para fechar este momento será realizado:

  • Filme com pipoca: Será exibido o filme: As aventuras do avião vermelho, (A animação dirigida por Frederico Pinto e José Maia é uma adaptação da obra infantil de mesmo nome, escrita por Érico Veríssimo. Fernandinho é um menino de 8 anos muito levado, que gostaria de ter mais atenção do pai. Ele é solitário e não se sente à vontade na escola. O pai tenta agradá-lo com presentes, mas não acerta. Até que ele tem ideia de lhe dar um livro de sua infância. Encantado com a história, Fernandinho decide que precisa de um avião para salvar o Capitão Tormenta – aviador personagem do livro, que está preso no Kamchatka. A bordo do Avião Vermelho e junto com seus brinquedos favoritos, Fernandinho visita lugares inusitados e percorre vários lugares no mundo. Ao longo dessa jornada, ele descobre o prazer da leitura, a importância de ter amigos e o amor do pai. Não só o enredo estimula o hábito de ler, mas também o fato de ser uma adaptação literária). Disponível: https://www.youtube.com/watch?v=BFpeVlWlm2o que abordará a temática- sendo finalizado com um debate sobre o filme.

Critérios de Avaliação: Os criterios tomandos como base do projeto será a observação e a participação continua nas atividades propostas, levando em consideração o envolvimento dos pais e dos filhos e seu reflexo nas aprendizagens de um espirito crítico e reflexivo.

Referências Bibliográficas

CORSINO, Patrícia. Relação família e escola na Educação Infantil: algumas reflexões. Disponível em: http://cdnbi.tvescola.org.br/resources/VMSResources/contents/document/publicationsSeries/124204ParceriaEscolaFamilia.pdf Acesso

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro: direito de família. v.6, São Paulo: Saraiva, 2005.

A FAMÍLIA CONTEMPORÂNEADisponível em:http://www.depen.pr.gov.br/arquivos/File/A_familia_contemporanea.pdf

GABRIEL, Carmem Teresa. Currículo: um elo importante na parceria na escola/família? Boletim Salto Para o Futuro. 2002.

Educação inclusiva: v. 3: a escola / coordenação geral SEESP/MEC; organização Maria Salete Fábio Aranha. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2004. 26 p




  • Leave a Comment