Enem: três estudantes nota 1.000 na redação são do mesmo cursinho

No curso, além de produzirem textos, alunas desenvolveram pensamento crítico e ampliaram repertório cultural.

Fazer um curso específico para a redação do Enem é uma das dicas de estudantes que obtiveram boas notas no exame educacional. Dados mostram que a recomendação pode ser bem eficaz: no Enem 2021, cujas notas saíram no último dia 9 de fevereiro, três alunas do mesmo cursinho conseguiram a tão sonhada nota 1.000 no texto.

O tema da redação do Enem 2021 foi: “Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil“. A redação foi aplicada no primeiro dia do exame, em 21 de novembro de 2021, e o assunto cobrado surpreendeu estudantes e professores. 

Giovanna da Silva Gamba Dias, 19 anos, Daiane Souza, de 20 anos, e Fernanda Quaresma, também de 20 anos, todas do estado de Pernambuco, fizeram o cursinho de Fernanda Pessoa. Ela é professora de redação há 25 anos. 

“Fiquei muito surpresa e feliz! Sei como é difícil conseguir a nota 1.000 na redação do Enem. Estudei e me preparei para isso, mas é sempre um choque receber uma notícia assim”, relembra Giovanna.

Daiane chorou bastante quando viu que tinha tirado nota máxima na redação do Enem 2021. Mas, segundo a jovem, o choro foi de felicidade e de realização. 

“Sou muito autocrítica. Então, quando vi a nota 1.000 na redação do Enem 2021, achei era um erro no site. Tirei um print achando que quando atualizasse a página o resultado mudaria (risos). Conferi um milhão de vezes se tava vendo certo antes de falar o resultado para a minha professora”, comenta Fernanda Quaresma.

A redação do Enem tem características específicas e diferentes de outros tipos de textos cobrados em vestibulares. No Enem, os participantes recebem uma proposta de redação dissertativa-argumentativa, que, normalmente, é uma questão-problema ligada a temas sociais. 

Os inscritos precisam desenvolver a redação defendendo seu ponto de vista sobre o assunto cobrado. Além disso, é obrigatório que os estudantes apresentem uma proposta de intervenção, que deve ser a solução para a questão-problema sinalizada.

Giovanna, por exemplo, construiu a sua proposta de intervenção relacionada à implementação de debates sobre a importância do registro civil tanto nas aulas de sociologia quanto extracurricularmente, nas escolas públicas de todos os municípios do Brasil.

Fernanda, por outro lado, adotou como proposta de intervenção na redação do Enem 2021 estimular o registro civil pela garantia de direitos que ele fornece ao cidadão.

Histórias de sucesso

As três jovens pernambucanas nota 1.000 na redação do Enem 2021 colecionam histórias e curiosidades que podem inspirar você, estudante. Confira!

Nota 1.000 como a irmã

Giovanna da Silva terminou o ensino médio em 2020 e fez o Enem para tentar uma vaga no curso de Medicina da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE). O curioso é que a irmã dela também tirou nota 1.000 na redação do Enem 2014 e usou a nota para ingressar na mesma faculdade.

“Minha irmã me ajudou na forma de apoio e inspiração. Eu escolhi a carreira de Medicina por ter acompanhado de perto o processo dela durante a universidade. Foi assim que fui conhecendo mais sobre o curso e foi me despertando interesse pela profissão. Ela se formou ano passado e hoje, trabalhando como médica, continua me inspirando”, elogia a jovem.

Medicina desde pequena

Com apenas 13 anos, Daiane já sabia que também queria estudar Medicina. Para alcançar seu objetivo, a pernambucana sabia que precisava sair bem nas provas do Enem. “Não tenho condições de pagar uma faculdade particular, então vou tentar vaga em uma universidade pública, por meio do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), ou uma bolsa de estudos pelo Programa Universidade para Todos (ProUni)”, almeja.

A estudante conta que começou a se preparar para a prova de redação já no primeiro ano do ensino médio, quando entrou no curso de redação da professora Fernanda, e obteve nota 860 como treineira. Nos dois anos seguintes, alcançou desempenho de 960 no texto, mas não conseguiu ser aprovada para a carreira de Medicina. 

Em 2020, Daiane fez seu primeiro ano de cursinho e tirou 980 na redação. “Consegui passar em Medicina pelo SiSU, mas não foi para o meu estado. Não fiz a matrícula porque não tinha condição de morar longe. Em 2021, fiz meu segundo ano de cursinho. Dediquei-me bastante, foquei mais em gramática, em reparar meus erros. Enviava uma redação por semana, conferia a correção e deu muito certo, a nota 1.000 veio”, comemora.

Mudança de curso

Natural de Iguaracy, no sertão de Pernambuco, Fernanda Quaresma mora há dois anos em Recife, onde cursa Biomedicina na UFPE. Ela passou em 2019 pelo SiSU.

“Não me identifiquei com o curso de Biomedicina. Gosto de Arquitetura e Design, mas posso tentar Medicina também. Tudo na UFPE, pois não quero sair de lá”, desabafa.

Curso de redação

O curso de redação específico para o Enem atende presencialmente cerca de 5 a 6 mil estudantes por ano, sendo cada turma formada por 550 deles. A professora Fernanda Pessoa ministra aulas para todas as turmas. O curso é presencial, mas também há a opção de grupos pela internet.

As aulas do curso presencial começam em fevereiro e seguem até as vésperas do Enem, uma vez por semana. Em 2021, o exame educacional foi aplicado nos dias 21 e 28 de novembro.

No curso, além do conteúdo de redação, os alunos têm aulas de Literatura, Gramática e Interpretação de Texto, Artes, Filosofia, Sociologia e Atualidades. “Os estudantes veem temas como pintura, escultura, arquitetura, música, cinema, teatro e literatura, o que dá ao aluno um repertório cultural para a redação do Enem”, salienta a professora.

Fernanda Pessoa comenta que, em suas aulas, costuma passar para os alunos alguns historiadores brasileiros. “Por exemplo, no Enem 2021 meus alunos lembraram de José Murilo de Carvalho, um historiador contemporâneo que fala sobre os questionamentos à respeito da cidadania e da relação com direitos civis, políticos e sociais”, reforça.

A professora comenta que vê fórmulas prontas para a redação do Enem, especialmente nas redes sociais, mas não acredita nessas regras. Para ela,  as fórmulas até podem resolver para uma determinada nota, mas a chance de não dar certo é muito grande.

“Eu acredito no pensamento crítico do aluno, em ele ter repertório para a sua redação do Enem. É um processo que começa a partir do pensamento. A gente estuda a parte técnica e acrescenta repertório de muitas áreas do conhecimento.” (professora Fernanda Pessoa)

Dicas para redação nota 1.000

Fernada Pessoa analisa que, para se preparar para a redação do Enem, é preciso levar o processo de estudo a sério, mas sem se torturar. “Muita gente acha que precisa fazer várias redações por semana, o que sou contra. Porque, se eu fizer cinco redações na semana, por exemplo, sem corrigir, cometerei o mesmo erro cinco vezes”, avalia.

Confira abaixo mais dicas da professora Fernanda e das três alunas nota 1.000 na redação do Enem 2021 para mandar bem no texto:

  • Tenha constância na prática da escrita
  • Faça um texto por semana, pelo menos, e mande-o para a correção
  • Verifique atentamente os erros que cometeu no texto para poder melhorar
  • Estude gramática também 
  • Aprenda repertórios culturais para usá-los na redação
  • Use citações de autores na redação do Enem
  • Faça um curso de redação, se possível
  • Assista a vídeo aulas de redação no YouTube
  • Desenvolva pensamento crítico para aplicá-lo na sua redação
  • Leia redações anteriores do Enem
  • Elabore seus próprios temas e desenvolva-os em textos

  • Leave a Comment