Apesar de autorização, escolas particulares não abriram nesta segunda, 3

Apesar da autorização conferida pela prefeitura, as escolas particulares do Rio de Janeiro decidiram não abrir suas portas para as aulas presenciais nesta segunda-feira, 3.

A decisão da prefeitura delimitava que estudantes dos 4º, 5º, 8º e 9º anos do ensino fundamental poderiam voltar para as escolas presencialmente. Por ora seriam somente essas séries, sobre as demais, ainda não há uma estimativa.

De acordo com o Sindicato dos Estabelecimentos de Educação Básica do Município do Rio de Janeiro (Sinepe) foi realizado um levantamento feito pela manhã desta segunda com as escolas afiliadas. Nenhuma delas retornou às atividades.

Já o Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região (Sinpro-Rio) disse que a categoria está em greve, que ocorre desde sábado, 1. Para a entidade, há a informação de apenas uma escola retornando com os alunos de forma presencial, que fica situada na Freguesia de Jacarepaguá.

Ontem, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Defensoria Pública entraram com uma ação civil pública na justiça para impedir a reabertura das escolas particulares na capital, com pedido de tutela antecipada. Mas o pedido e o recurso foram negados no plantão judiciário.

Não há nenhuma data definida para retorno das aulas

Vale dizer que o governo do estado afirmou que cabe à Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) a decisão a respeito do retorno das aulas nas escolas particulares. Como há entidades em greve e hoje não houve retorno de outras instituições, somente uma de que há registro, ainda não há nenhuma data definida.

Lembrando que o estado do Rio de Janeiro está cumprindo medidas restritivas para a contenção do novo coronavírus. Essas normas estão vigentes até o próximo dias 5 de agosto.

Entre as medidas está a continuação do fechamento das escolas públicas, da rede estadual e municipal. Por conta disso que as entidades relativas às instituições particulares se mostraram contrárias à autorização para a reabertura de tais. Afinal, se as restrições valem até dia 5, não há coerência retornar as aulas dia 3, antes da finalização do processo.

Segundo a Seeduc, o protocolo de retorno às aulas terá duração de 15 dias. O mesmo será iniciado assim que a Secretaria de Saúde informar que há condições de voltar.

As aulas presenciais estão suspensas desde março, por causa da pandemia de covid-19, e a rede particular manteve as atividades de forma remota, com aulas online.


  • Leave a Comment