Técnicas para trabalhar psicomotricidade na educação infantil


Selecionamos nesta postagem diversas ideias e Técnicas para trabalhar psicomotricidade na educação infantil.

Não é de hoje que profissionais de pedagogia, psicopedagogia, psicólogos, médicos e outros se preocupam com a capacidade que a criança tem de associar as funções do cérebro com os movimentos. As pesquisas seguem avançadas. Tudo em nome do reconhecimento de mais detalhes importantes para novas descobertas.

Psicomotricidade na educação infantil

Durante o processo da educação básica, as crianças ficam diante de várias situações que impulsionam seu conhecimento. A questão pedagógica incide sobre a psicomotricidade do pequeno a partir de atividades direcionadas ao trabalho da mente, dos movimentos e do lado afetivo do aluno.

É importante notar o quão importante a aplicação de tais exercícios, de forma lúdica, ajudam as crianças na descoberta do mundo ao redor. A noção que os pequenos passam a ter de seu espaço é interessante e bastante válida para a própria formação daquela primeira infância.

Que técnicas podem ser usadas para trabalhar a psicomotricidade na educação infantil?

Desde o primeiro contato da criança com o ambiente escolar, os educadores podem estipular atividades que trabalharão todo esse aspecto em prol do pequeno. Veja abaixo algumas das diversas técnicas que podem e devem ser usadas em sala de aula, no pátio da escola e onde mais houver condições.

Kit Só Escola Autismo

É importante salientar aos leitores que a divisão das brincadeiras deve levar em conta a idade que a criança tem. Isso ocorre porque aquele aluno que tem menos de 3 anos não apresenta tanta firmeza como um pequeno com 4 ou 5, por exemplo.

As técnicas

Brincadeiras que envolvem todo tipo de movimento da criança e o fortalecimento do aspecto afetivo dela são indispensáveis para sua vida.

Até os 3 anos de idade: gincanas que favoreçam o estímulo da descoberta do espaço, atividades táteis, exercícios com bolas e peças de plástico; pintar os pés e pedir que a criança trace um caminho; brincadeiras de encher e esvaziar pequenas vasilhas com areia também são ótimas dicas para essa fase da primeira infância.

Acima dos 4 anos de idade: atividades que façam os pequenos pular, rolar, dançar; exercícios que apresentam a elas rotinas que farão parte de sua vida, como amarrar os sapatos, pentear os cabelos, vestir uma roupa, escolher um brinquedo, pegar um objeto específico, etc.

Técnicas que independem da idade: desenhos, pinturas, colagem.

O que não pode ser deixado para trás:

Alguns fatores são imprescindíveis na elaboração de técnicas de psicomotricidade da educação infantil. É importante notar se a organização do espaço/tempo está de acordo com o objetivo da atividade proposta.

Além disso, é sempre válido pensar se os exercícios abrangem um novo efetivo de alunos ou se eles são excludentes a alguma criança.Com total acompanhamento, a aplicação de brincadeiras/técnicas nessa fase escolar da criança tende a gerar resultados bem satisfatórios.

Atividades Lúdicas que Auxiliam na Psicomotricidade

A Coordenação motora é a capacidade de coordenação de movimentos decorrente da integração entre comando central (cérebro) e unidades motoras dos músculos e articulações.

De acordo com Lopes et.al. (2003), o conceito de coordenação motora é abordado em diferentes âmbitos, contextos e áreas científicas (controle motor, aprendizagem motora, desenvolvimento motor, biomecânica, fisiologia). Assim, a coordenação motora pode ser analisada segundo três pontos de vista:

a) Biomecânico, dizendo respeito à ordenação dos impulsos de força numa ação motora e a ordenação de acontecimentos em relação a dois ou mais eixos perpendiculares;
b) Fisiológico, relacionando as leis que regulam os processos de contração muscular;
c) Pedagógico, relativo à ligação ordenada das fases de um movimento ou ações parciais e a aprendizagem de novas habilidades.

Coordenação motora ampla: é o trabalho que vai apurar os movimentos dos membros superiores (braços, ombros, pescoço e cabeça) e inferiores (pernas, pés, quadris). As atividades envolvidas nesta prática dizem respeito à organização geral do ritmo, ao desenvolvimento e às percepções gerais da criança.

Atividades:
1) Saltar a corda: 

Coordenação motora ampla:
Formação: coluna.
Material: corda.
Desenvolvimento: a frente de cada coluna estarão três cordas esticadas na horizontal, o primeiro aluno deverá saltar as cordas de frente, de costa, de lado.

2) Cobrinha: 

Coordenação motora ampla:
Formação: coluna.
Material: corda.
Desenvolvimento: o professor deverá fazer cobrinha com a corda, o deverá saltar sem tocar na corda.
Variação: dois segurando a corda fazendo um leve balanceio de um lado para o outro.

3) Lançar: 

Coordenação motora ampla:
Formação: individual.
Material: bola.
Desenvolvimento: deslocando, lançar a bola para cima e segurar.

4) Deslocamento: 

Coordenação motora ampla.
Formação: individua.
Material: bola.
Desenvolvimento: andando e passando a bola por entre as pernas em forma de 8.

5) Deslocamento: 

Coordenação motora ampla:

Formação: individual. 
Material: bola.
Desenvolvimento: andar com a bola entre as pernas.

6) Abraçados: 

Coordenação motora ampla:
Formação: dois a dois.
Material: Bola.
Desenvolvimento: andar com bola entre o tórax dos colegas.

7) Corrida das bolinhas: 

Coordenação motora ampla.
Formação: coluna.
Material: cartelas de ovos e bolinha de gude.
Desenvolvimento: Colocar cartelas de ovos vazias a cinco metros de distância para que as crianças possam enchê-las pegando bolinhas de gude ou grãos que estão distantes; (correm levando as bolinhas ou grãos).

8) O presente: 

Coordenação motora ampla:
Material: caixas de papelão de tamanho variado.
Desenvolvimento: Entrar em caixas de papelão gigante, médias e pequenas.

9) Bola por cima: 

Coordenação motora ampla:
Material: bola.
Formação: assentados em coluna.
Desenvolvimento: os alunos deverão estar assentados em fila, o organizador distribuirá uma bola para cada fila, ao sinal do organizador os alunos deverão passar a bola por cima da cabeça. Vence a equipe que conseguir transportar a bola primeiro.
Variação: quando a bola chegar ao último aluno este deverá deslocar-se e ocupar a primeira posição na fila, vence a equipe que chegar primeiro no aluno que começou a atividade.

10) Bola pela lateral: 

Coordenação motora ampla:
Material: bola.
Formação: assentados em coluna.
Desenvolvimento: Idem a anterior, porém a bola é passada lateralmente.

11) Bola por baixo:

Coordenação motora ampla:
Material: bola.
Formação: em pé – coluna.
Desenvolvimento: Idem a anterior, porém a bola é passada por debaixo das pernas.
Variação: quando a bola chegar ao último este deverá passar por debaixo das pernas dos colegas, carregando consigo a bola. Continuando assim a atividade. Vence a atividade quando o primeiro aluno da equipe que começou ocupar a sua primeira posição.

12) Minhocão 

Coordenação motora ampla:
Material: bola.
Formação: em pé – coluna.
Desenvolvimento: Idem a anterior, porém a bola é passada por debaixo das pernas do primeiro colega e por cima da cabeça do segundo colega e assim por diante, por baixo, por cima, por baixo, por cima…

13) Controlar o jornal no corpo: 

Coordenação motora ampla:
Material: jornal.
Formação: fila.
Desenvolvimento: o organizador entrega um jornal para o primeiro aluno da equipe, este deverá correr controlando-o no corpo, indo e voltando, entregar o jornal para o próximo colega de sua equipe, que realizará o mesmo percurso. Vence a equipe que terminar primeiro. (Coloca-se o jornal no tórax, deve correr sem segurar o jornal).

14) Montar quebra-cabeça gigante no chão;
15) Correr com fitas coloridas sem deixá-las tocar o chão;
16) Jogar bolas de ar (bexiga, balão) para o alto e não deixá-las tocar o chão;
17) Rodar pneu de borracha. 


Coordenação motora fina: diz respeito aos trabalhos mais finos, aqueles que podem ser executados com o auxílio das mãos e dedos, especificamente aqueles com grande importância entre mãos e olhos. O bom desenvolvimento da coordenação fina garantirá um bom traço de letra e será observado quando, por exemplo, a criança pega água em um copo plástico sem derramar ou equilibrando a força necessária para colorir desenhos nas mais diferentes texturas e superfícies.

Atividades:

1) Amassar e desamassar:
Coordenação motora fina:
Formação: círculo.
Material: jornal.
Desenvolvimento: os alunos em círculo receberão uma folha de jornal, deverão:
– amassar o jornal usando as mãos
– colocar o jornal amassado no chão e desamassá-lo com os pés.

2) Amarrado:

Coordenação motora fina:
Material: lenço.
Formação: coluna.
Desenvolvimento: A frente de cada coluna estará um aluno de pé e com os braços em extensão. O professor entregará um lenço ao primeiro aluno de cada coluna que deverá deslocar até o colega que está em frente da coluna e amarrar a sua mão, voltar tocar na mão do colega que deverá deslocar até o colega amarrado e desamarrá-lo, entregando o lenço para o próximo colega de sua coluna e assim sucessivamente.

3) Tampa e destampa:

Coordenação motora fina:
Material: garrafa pet.
Formação: coluna.
Desenvolvimento: A frente da coluna estará uma garrafa pet tampada. Assim o primeiro da coluna destampa a garrafa pet volta para sua coluna e assenta no final da mesma, o segundo tampa a garrafa pet e assim sucessivamente.

4) Empilhar e desempilhar:

Coordenação motora fina:
Material: latas.
Formação: coluna.
Desenvolvimento: o primeiro aluno de cada fila deverá correr até o local onde se encontram as latas e empilhá-las, voltar e tocar na mão de seu colega de equipe, este deverá desempilhá-las, voltando e tocando na mão do próximo colega de sua equipe e assim sucessivamente, vence a equipe que terminar primeiro.

5) Bola de gude;

6) Dominós.



  • Deixe um Comentário