Artigos Educacionais

TDAH: conheça as principais estratégias e atividades lúdicas para sala de aula


Você com certeza já conhece sobre o TDAH, mas quando o assunto é na prática, você sabe quais são as principais estratégias para a memória sustentada?

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma das causas de dificuldade de aprendizado neurobiológica mais comum durante a infância. Ocorre em cerca de 6 a 10% das crianças e pode causar grandes prejuízos no desenvolvimento escolar e na aprendizagem da leitura, escrita e matemática, se não diagnosticado rapidamente.

Por saber da importância desse conhecimento, hoje em nosso Blog trouxemos este conteúdo com estratégias para sala de aula e atividades lúdicas que vão te auxiliar no processo de ensino/aprendizagem nos seus alunos com TDAH.

TDAH: CONHEÇA AS PRINCIPAIS ESTRATÉGIAS E ATIVIDADES LÚDICAS PARA SALA DE AULA

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma das causas de dificuldade de aprendizado neurobiológica mais comum durante a infância. Ocorre em cerca de 6 a 10% das crianças e pode causar grandes prejuízos no desenvolvimento escolar e na aprendizagem da leitura, escrita e matemática, se não diagnosticado rapidamente.

Esta criança tem dificuldade de memorização de sequências, não percebe detalhes, voltam nos mesmos erros, desorganizam-se sempre, esquecem as tarefas, perdem-se nos acontecimentos paralelos de determinada tarefa, no passo-a-passo de fórmulas e conceitos das tarefas mais monótonas e decorativas.

O papel das relações interpessoais entre professor e seus alunos e entre aluno e aluno é importante para o aprendizado, pois é nas constantes interações que as formas psicológicas mais sofisticadas emergem da vida social, pois a criança aprende mediante seu desejo e incentivo o qual irá reproduzir seus comportamentos a partir dos estímulos que lhes foram disponibilizados com a intenção de composições para seu repertório de ações/reações.

ALGUMAS ESTRATÉGIAS QUE PODE AJUDAR NA PRATICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR

Com uma atividade atrativa é possível fazer com que a criança aumente o nível de atenção, oportunizando o mesmo buscar meios de resolução do problema por meios direcionamentos pré-estabelecidas pelo professor, com isso fica evidente que o professor deve coordenar os processos pedagógicos fazendo com que todos participam e consigam o sucesso escolar, pensando no sucesso escolar dos alunos com déficit de atenção.

Exercícios Lúdicos para a criança com Déficit de Atenção

1- Mar e terra:

É desenhada no chão uma linha ou pode ser feita com fita adesiva.
Pede-se às crianças que se coloquem à esquerda da linha e dizemos a elas: agora vocês estão no mar…. Onde vocês estão? As crianças respondem: no mar. O professor continuará dizendo: quando eu disser terra todos devem pular para o outro lado. Os pés devem estar juntos no mesmo local. Então o professor irá dizendo terra, mar, terra, mar, terra, terra etc. Os que se equivocam vão sendo eliminados.

Obs: Nesta atividade poderá ser trabalhada a motricidade, lateralidade e déficit de atenção dos alunos.

Quem enxerga melhor

Cada criança tem papel e lápis. O professor deve dizer uma letra do alfabeto e as crianças devem escrever o maior número de objetos que estejam na sala e que comecem com essa letra. Este jogo pode ser repetido com cores.

Obs: Trabalhar com séries em que a criança já sabe escrever. Trabalhar as cores e a escrita, assim como o déficit de atenção do aluno.

TÉCNICAS PARA MELHORAR A MEMÓRIA SUSTENTADA

Os trabalhos em grupo e a possibilidade de o aluno escolher as atividades nas quais quer participar são elementos que despertam o interesse e a motivação. É preciso ter em vista que cada aluno aprende no seu tempo e que as estratégias deverão respeitar a individualidade e especificidade de cada um.

Optar por, sempre que possível, dar aulas com materiais audiovisuais, computadores, vídeos, DVD, e outros materiais diferenciados como revistas, jornais, livros, etc. A diversidade de materiais pedagógicos aumenta consideravelmente o interesse do aluno nas aulas e, portanto, melhora a atenção sustentada.

Usar mecanismos e/ou ferramentas para compensar as dificuldades memoriais: tabelas com datas sobre prazo de entrega dos trabalhos solicitados, usar post-it para fazer lembretes e anotações para que o aluno não esqueça o conteúdo.

Etiquetar, iluminar, sublinhar e colorir as partes mais importantes de uma tarefa, texto ou prova.

Dar frequentemente feedback (reforço) positivo. Assinalar os pontos positivos e negativos de forma clara, construtiva, respeitosa. Este monitoramento é importante para o aluno com TDAH, pois permite que ele desenvolva uma percepção do seu próprio desempenho, potencial e capacidade e possa avançar motivado em busca da sua própria superação.
Educar não se limita a repassar informações ou mostrar apenas um caminho, aquele caminho que o professor considera o mais correto, mas é ajudar a pessoa a tomar consciência de si mesma, dos outros e da sociedade. É aceitar-se como pessoa e saber aceitar os outros.
É oferecer várias ferramentas para que a pessoa possa escolher entre muitos caminhos, aquele que for compatível com seus valores, sua visão de mundo e com as circunstâncias adversas que cada um irá encontrar. Educar é preparar para a vida.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *