Os benefícios do Storytelling ou arte de Contar Histórias
Artigos Educacionais, Contar Histórias

Os benefícios do Storytelling ou arte de Contar Histórias


Os benefícios do Storytelling ou arte de Contar Histórias: Artigo enviado pelo nosso parceiro “Professor Marcos L Souza – Pedagogo – Psicopedagogo – Educador musical – Historiador.

Storytelling é uma palavra em inglês, que está relacionada com uma narrativa e significa a capacidade de contar histórias relevantes. Em inglês a expressão “tell a story” significa “contar uma história” e storyteller é um contador de histórias.

Os benefícios do Storytelling ou arte de Contar Histórias

“contação de histórias” é uma das práticas mais remotas que se tem registro da humanidade. O ser humano conta histórias desde o início do desenvolvimento das habilidades de comunicação e da fala. Elas promoviam, e promovem, momentos de união, confraternização, trocas de experiências, além de ajudar a passar o tempo e vencer o tédio.

As histórias despertam a imaginação, as emoções, o interesse, as expectativas… ouvir uma história e/ou contá-la e recontá-la é uma maneira de preservar as culturas, os valores e compartilhar o conhecimento.

O primeiro contato da criança com o texto, geralmente, é por meio das histórias apresentadas, oralmente, por pais e familiares. Elas podem ser contadas em diversas ocasiões, como, por exemplo, ao acordar, durante uma tarde chuvosa, antes de dormir, preparando para um sono tranquilo e restaurador… Essa prática é extremamente importante, é o início do processo de aprendizagem, alfabetização e letramento da criança.

Ouvir histórias e ou estórias, desenvolve o pensamento crítico e oferece para as crianças a possibilidade de conhecer um mundo encantador, mas, também, cheio de conflitos e dificuldades que precisam ser enfrentados.

O “contador” precisa ser habilidoso, é necessário “entrar” na história e levar junto todos os ouvintes. Diversos recursos, como, imagens, sons, instrumentos musicais, materiais alternativos, devem ser utilizados para que o momento seja ainda mais aprazível.

Algumas dicas e técnicas também podem ajudar. A linguagem corporal do “contador” tem grande relevância para o processo. Trocas de olhares diretas com os ouvintes são importantes. Caso identifique um ouvinte mais desatento, separe algum tempo para contar a história diretamente para ele, mas cuidado para que ele não se torne o centro das atenções, esse não é o objetivo. As perguntas devem ser respondidas, mas no limite exato. E lembre-se, as intervenções não podem comprometer o seu trabalho.

O ambiente, mesmo que simples, deve ser favorável à proposta lúdica. Pode ser ao ar livre ou em locais fechados, porém é necessário estar livre de qualquer distração ou desconforto. Ruídos, pessoas transitando, excesso de sol, muito frio, muito calor, muito iluminado, pouco iluminado… tudo isso poderá dificultar o trabalho do “contador”. Procure o ambiente e o momento ideais para contar suas histórias.

Como em qualquer área, é importante que o “contador” busque aperfeiçoamento contínuo. Algumas universidades possuem cursos de especialização em “contação de histórias”. A escritora e pedagoga Fanny Abramovich (1989, p. 17) nos diz que “é ouvindo histórias que se pode sentir (também) emoções importantes como: a tristeza, a raiva, a irritação, o medo, a alegria, o pavor, a impotência, a insegurança e tantas outras mais, e viver profundamente isso tudo que as narrativas provocam e suscitam em quem as ouve ou as lê, com toda a amplitude, significância e verdade que cada uma delas faz (ou não) brotar”.

No ato da “contação de história”, a criança se identifica com os personagens, com os heróis, as heroínas, o mocinho e a mocinha… essa identificação desperta várias emoções e faz com que os pequenos coloquem para fora seus sentimentos e vençam o medo, a angustia, a timidez… além disso, a “contação” aguça a curiosidade dos alunos e desperta o interesse em conhecer mais histórias. A tendência é que naturalmente, se tornem habilidosos leitores e o processo de ensino-aprendizagem será mais rápido e prazeroso.

Você já viu algum anúncio, videogame ou videoclipe que você ainda se lembra perfeitamente? Certamente, dentro desse recurso audiovisual, foi explicada uma breve história que chamou sua atenção, despertou suas emoções e cativou você. Bem, vamos aplicar essa técnica magnífica, chamada Storytelling , ao campo da educação!

Nos tempos antigos, antes de existir a escrita, as histórias já eram contadas oralmente, de geração em geração, para entreter, educar, disseminar a cultura ou inculcar valores. Quem não se lembra da história de Hansel e Gretel ou Chapeuzinho Vermelho?

Storytelling ou contar histórias, é o ato de transmissão de histórias cheias de emoçõesusando padrão de uso de palavras ou imagens. Embora essa estratégia não seja nova, os tempos estão mudando e também as histórias e a forma de contá-las.

A digitalização das salas de aula e o aprendizado têm sido uma grande revolução ao contar histórias. Assim, a narrativa tradicional adquire uma nova dimensão, utilizando novas ferramentas e suportes para transmitir conhecimentos e valores que despertam o interesse e a motivação dos alunos.

Storytelling  em sua versão tradicional ou digital, é uma arma poderosa nas mãos dos professores a usar histórias, sejam elas reais ou inventados para o benefício do processo de ensino-aprendizagem. Aqui mostramos alguns dos benefícios mais destacados dessa estratégia:

  • Proporciona aos alunos motivação, diversão, curiosidade e atitudes favoráveis ​​ao aprendizado.
  • Ajuda a estabelecer conexões entre o conteúdo e organizar a informação.
  • Promove uma grande quantidade de valores para trabalhar em sala de aula.
  • Incentiva o pensamento crítico com base nas reflexões das histórias.
  • Desenvolver habilidades sociais, como escuta ativa e empatia.
  • Permite que meninos e meninas prestem mais atenção e obtenham um maior nível de concentração.
  • Crie um link entre o professor e os alunos, facilitando uma comunicação mais fluida e uma interação mais bidirecional.
  • Promove um ambiente de trabalho descontraído e participativo.
  • Estimula a criatividade e imaginação dos alunos.
  • Promove uma implicação emocional que permite que as mensagens sejam interpretadas mais rapidamente e de forma mais profunda.

Como adaptar o Storytelling em sala de aula?

Para ser um bom contador de histórias, você deve conhecer alguns truques para que suas histórias sejam empolgantes e atendam o objetivo final, como a introdução de alguns conteúdos, o aprendizado de algum valor ético, a reflexão sobre um tópico específico.

Certamente você usou Storytelling nas suas aulas! Conte-nos sua experiência e compartilhar com a comunidade Tiching seus preciosos recursos para realizar a arte de contar histórias!

  • Tradução, complemento e pesquisa – Prof. Marcos L Souza
  • http://blog.tiching.com/los-beneficios-del-storytelling-arte-contar-historias/


Os benefícios do Storytelling ou arte de Contar Histórias
5 (100%) 1 vote

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *