Início Artigos Educacionais Jean Piaget e os tipos de conhecimento

Jean Piaget e os tipos de conhecimento

761
0
COMPARTILHAR

Jean Piaget e os tipos de conhecimento: Jean Piaget foi um notado psicólogo suíço que se especializou em explorar o processo através do qual as crianças aprendem. Uma das contribuições mais significativas feitas por Piaget para a compreensão psicológica foi a sua teoria dos tipos de conhecimento.

Ao compreender esses tipos de conhecimento propostos, você pode ser capaz de compreender melhor as maneiras pelas quais as crianças passam a adquirir conhecimento.

Jean Piaget e os tipos de conhecimento

Conhecimento físico

O primeiro tipo de conhecimento que as crianças adquirem é o conhecimento físico. Crianças adquirem conhecimento físico recolhendo informações sobre o mundo através da observação. Os alunos começam a recolher estas informações durante a infância, desenvolvendo uma compreensão das emoções através da leitura das expressões dos outros, ou aprendendo lições acadêmicas básicas enquanto jogam com brinquedos. Enquanto as crianças desenvolvem suas habilidades de aquisição de outros conhecimentos, este tipo de aquisição de conhecimento continua a ser uma forma fundamental em que elas aprendem coisas novas e constroem entendimento.

O conhecimento físico, assim como qualquer outro, ocorre de forma gradativa, passo-a-passo e de diferentes maneiras, num processo de conhecimento que vai se construindo aos poucos e com muita dedicação e perseverança. Esse conhecimento pode ser analisado sob duas perspectivas distintas: a perspectiva de conhecimento já estabelecido, de forma que ele já pode ser manifestado e apresentado; e a perspectiva de construção, onde a experimentação tem papel de grande importância. Essas duas perspectivas se complementam.

Conhecimento lógico-matemático

Uma vez que as crianças são capazes de se engajar em pensamento crítico, eles começam a adquirir conhecimento lógico-matemático. Este tipo de conhecimento, diferente do conhecimento físico, não é adquirido apenas através da observação, mas por meio de processamento mental da informação que obtêm através da observação. O conhecimento lógico-matemático é mais abstrato do que o conhecimento físico e requer que os alunos deduzam conhecimentos de coisas que observam e inventem respostas para explicar coisas que eles testemunharam. Enquanto as crianças desenvolvem a capacidade de adquirir conhecimento lógico-matemático elas não param de adquirir o conhecimento físico, mas adicionam outro tipo de conhecimento para o seu conjunto de habilidades.

O conhecimento lógico-matemático segundo Piaget (1978), é uma construção que resulta da ação mental da criança sobre o mundo, construído a partir de relações que a criança elabora na sua atividade de pensar o mundo, e também  das ações sobre os objetos. Portanto, ela não pode ser ensinada por repetição ou verbalização, a mente não é uma tábula rasa.  Segundo Morgado (1986), a escola tradicional, baseada na transmissão oral dos conhecimentos, foi criticada por Piaget por considerar a criança como um ser passivo e vazio, onde se poderiam imprimir os conhecimentos que o docente quisesse.

Piaget ainda afirma que o ensino deveria formar o raciocínio, conduzindo à compreensão e não è memorização, desenvolvendo um espírito criativo e não repetitivo. O professor deveria criar situações que levem o discente a encontrar a solução correta, de acordo com seu nível de desenvolvimento psicogenético, através de trabalhos práticos individuais ou em grupo, de diálogo entre colegas ou com o professor.

A matemática é geralmente tratada como uma disciplina que apenas “transmite” uma série de regras arbitrárias e ensina uma linguagem de signos, sem garantir, o desenvolvimento de estruturas cognitivas que sustentem a possibilidade do real entendimento daquilo que se pretende ensinar. Esta disciplina não se relaciona com a capacidade do sujeito agir, criando relações para solucionar os problemas da vida (Carraher, 1982). O ensino é quase que todo centrado em memorização de regras e na aprendizagem de “truques” através dos quais não se obtém a compreensão dos porquês, mas tem-se de utilizá-los porque “funcionam”. A avaliação escolar é superficial e mecânica.

Conhecimento social

Conhecimento social é o último e mais complexo tipo de conhecimento que as crianças aprendem a adquirir. A aquisição do conhecimento social depende de um entendimento das formas em que os indivíduos se comunicam e criam laços. Porque este tipo de conhecimento requer uma compreensão complexa de emoções humanas e estímulos sociais, é o último tipo de conhecimento que as crianças são capazes de adquirir. Conforme as crianças desenvolvem a capacidade de absorver o conhecimento social, acrescentam esta habilidade ao seu repertório de tipos de conhecimento, em vez de substituir habilidades de aquisição de conhecimento previamente adquiridas.

Jean Piaget: Conhecimento Social / Cilene Ribeiro de Sá Leite Chakur

A professora Cilene Ribeiro de Sá Leite Chakur, da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp, campus Araraquara, traça um panorama geral sobre a construção dos conhecimentos sociais. A palestra traz o problema da especificidade na construção dos conhecimentos, passando em seguida aos estágios do desenvolvimento nesse domínio. Além disso, a professora apresenta pesquisas a respeito do desenvolvimento da compreensão do mundo social pela criança.


Se gostou da postagem,“Jean Piaget e os tipos de conhecimento.” deixe sua avaliação, isso é muito importante para nós. Faça isso deixando um comentário com sua opinião e sugestões para outras postagens.

Curta nossa página no Facebook: @SÓESCOLA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here