Início Educação Jovem de origem humilde passa para medicina em 4 universidades públicas

Jovem de origem humilde passa para medicina em 4 universidades públicas

19
0
COMPARTILHAR
Jovem de origem humilde passa para medicina em 4 universidades públicas
Jovem de origem humilde passa para medicina em 4 universidades públicas

Francisco Special Júnior, de 19 anos, conta que estudou 15 horas por dia. Estudante disse que vai cursar medicina na Unicamp, em São Paulo.

Um estudante de origem humilde de Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, passou para o curso de medicina em quatro universidades públicas do Brasil. Francisco Carlos Specian Júnior, de 19 anos, contou que estudou até 15 horas por dia, durante três anos, até conseguir ser aprovado nas instituições de ensino superior. 
O aluno foi aprovado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal do Paraná (UFPR) e na Universidade Federal de Campinas (Unicamp).
Durante dois desses anos de estudo o rapaz estudou em Tangará da Serra e, por um ano se dedicou aos estudos em Curitiba (PR). Na capital paranaense, chegava a ficar 15 horas diárias estudando.
“Eu vivia para estudar, chegava cedo e ia embora do cursinho a noite. Quando eu chegava em casa estudava mais um pouco”, contou Francisco.
O estudante disse que escolheu a Unicamp para estudar medicina. Lá, ele concorreu com 250 candidatos para uma vaga. “Lá conta muito a pesquisa, e eu amo pesquisar, principalmente na área da saúde”, justificou.
Em Tangará da Serra, Francisco ajudava a família na plantação de frutas e legumes. O pai Francisco Specian, contou estar contente com a conquista do filho. “Ficamos muito felizes por ele ter passado, já concluiu uma etapa do sonho dele que também é o nosso, queremos ver nosso filho formado”, explicou.
A avó de Francisco, Luzia Specian, disse que está contente pelo neto e que sempre acreditou no potencial dele. “A gente fica feliz, pois ele tinha vontade de fazer essas provas. Se ele se tornar um médico ele ajuda a população em geral”, falou.
Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here