Estudantes aprovadas em 1° lugar para medicina e direito na PB contam como alcançar um bom resultado: ‘ter equilíbrio’

Maria Eduarda passou para medicina na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e Nicolly Nascimento vai cursar direito na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Felizes por terem sido aprovadas na primeira tentativa e em primeiro lugar para os cursos medicina e direito, sempre muito concorridos nas universidades públicas da Paraíba, Maria Eduarda e Nicolly Nascimento compartilharam os métodos de estudo que fizerem com que elas alcançassem um bom resultado no Sisu 2021. As duas têm 18 anos, estudavam em um mesmo colégio da rede privada de Campina Grande e adotaram algumas técnicas diferentes. Mas, no geral, ambas concordam que “ter equilíbrio” entre vida a vida social e escola é algo importante nesse processo.

Nicolly, aprovada para o curso de direito da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), lembrou que grande parte da rotina dela era ocupada pelas aulas do colégio durante o turno da manhã e também em alguns dias da semana pela tarde. Por isso, ela costumava revisar à noite os conteúdos considerados de maior relevância e incidência no Enem, junto com a resolução de questões.

Já durante a preparação para a redação, ela escrevia pelo menos um texto por semana. Assim, exercitava a escrita e avaliava os pontos que precisavam ser melhorados.

Para estudar, ela abriu mão de algumas experiências, principalmente de eventos sociais. Mas todo o sacrifício foi recompensado. “Fiquei muito feliz em ver o resultado e perceber que toda a minha dedicação no ano anterior tinha valido a pena”, completou.

Mesmo dedicada e focada nos estudos, o descanso foi fundamental. “É importante manter o equilíbrio durante essa fase e separar alguns momentos pra se dedicar a outras atividades”, aconselhou Nicolly.

Já a Maria Eduarda, que vai cursar medicina na Universidade Federal de Campina Grande (UFCGuepb), contou que estudava todos os dias, mas não tinha uma quantidade exata de horas de estudo. No geral, ela revia o conteúdo visto em sala de aula e também tentava direcionar uma atenção maior para a resolução de questões.

A jovem, que se prepara para o Enem deste o 6º ano do ensino fundamental, também precisou deixar muita coisa de lado por um tempo.

“Também não abdiquei de tudo e nem deixei de aproveitar o terceiro ano, de ver meus amigos e cuidar da saúde”, destacou.

Dicas para a escolha da profissão

Maria Eduarda descobriu a vontade de ser médica durante a pandemia de Covid-19, quando viu o que a profissão representa para o mundo. Embora seja cedo para saber qual especialidade da medicina seguir, a jovem tem convicção da missão que vai encarar pela frente.

“Ajudar as pessoas a terem seu direito à saúde garantido e alcançarem qualidade de vida”, reforçou.

Já Nicolly, lembrou que é difícil escolher uma profissão sendo tão jovem e explicou porque optou pelo direito já em 2021, no último ano de colégio.

“Fui pesquisando sobre alguns cursos, e acabei me interessando por direito por ser um universo de muitos caminhos e possibilidades”, concluiu.



  • Leave a Comment