A Avaliação do Plano de Aula — SÓ ESCOLA
Sem categoria

A Avaliação do Plano de Aula


A avaliação na elaboração do plano de aula é vista como a última etapa da aula, momento em que o educador irá verificar se os objetivos da aula foram atingidos. Nesta visão da avaliação o educador geralmente sugere questões, questionários, atividades extra-classe, de forma que este, o educador, possa medir o conhecimento do aluno.

Nesta concepção

“A avaliação é concebida como processo/instrumento de coleta de informações, sistematização e interpretação das informações, julgamentos de valor do objeto avaliado através das informações tratadas e decifradas. (…) A avaliação cruza o trabalho pedagógico desde seu planejamento até a sua execução, coletando dados para melhor compreensão da relação entre o planejamento, o ensino e a aprendizagem e poder orientar a intervenção didática para que seja qualitativa e contextualizada.” (Silva, 2003)

A avaliação sob o ponto de vista relatado assim, traz a necessidade que a avaliação seja contínua e proponha uma diversidade de instrumentos avaliativos, para que assim se possa ter o maior número e variedade de informações sobre a prática educativa, pois

“restringir a avaliação aos testes finais e aos aprendentes implica não avaliar certos aspectos dos estudantes como o desempenho oral, a capacidade investigativa e a participação em trabalhos em grupos, nem tampouco o desenvolvimento da aquisição dos conceitos testados finalisticamente e também não toma a intervenção didática como objeto da avaliação.” (Silva, 2003)

Portanto vê-se a necessidade de uma reflexão da prática avaliativa em todas as disciplinas. A busca por aprendizagens significativas relatadas em tópicos anteriores sugere também a busca pela autonomia, aluno crítico e consciente.

Sendo assim pode-se levantar o seguinte questionamento:
_ Como relacionar as aprendizagens significativas de maneira que as avaliações também se tornem significativas tanto aos alunos e educadores?
A primeira proposta é a valorização dos saberes e a utilização da avaliação como instrumentos do aprender. O tempo todo da prática educativa o educar avalia e valoriza o educando.

Assim, é necessário que a avaliação leve em consideração o tempo do aluno, uma vez que este possui seu lugar, seus vínculos e sua visão de como se integra ao mundo.

A avaliação que valoriza as aprendizagens significativas utiliza o erro como uma oportunidade do aprender. A auto correção de suas atividades é uma oportunidade para a formação da autonomia. Também a auto avaliação. O aluno consciente de suas ações em relação ao conteúdo, à pesquisa, suas atribuições, seu envolvimento, comprometimento, comportamento. A auto avaliação prioriza a autonomia.

Mas como avaliar o aluno quando se depara com o indivíduo que tem seu tempo de aprender, suas perspectivas individuais, seus significados em particular.

A avaliação também pode ser individualizada.

O portfólio é uma modalidade de avaliação baseada na ideia da evolução do processo de aprendizagem. Neste modelo insere-se cada etapa do processo ensino aprendizagem priorizados por fotos, imagens, registros individuais do aluno o que favorece a reflexão do progresso do educando e os aproxima dos educadores, que constroem juntos o processo ensino-aprendizagem.

Assim a avaliação frente a novas descobertas e aprendizagens busca o equilíbrio entre o que é ensinado e o que é aprendido, leva-se em consideração a observação individual, as tarefas são escritas para que o aluno possa expressar como apreendeu o conteúdo, leva-se em consideração as atividades em grupos e individuais e o educador observa suas atitudes de pesquisador, a aprendizagem é o saber consigo, com os outros e com o objeto de saber.

Completaremos o plano de aula com os itens para a elaboração do plano de aula, lembrando que o plano de aula abaixo citado visa a exemplificação do da elaboração do plano de aula, que poderá ser ainda mais elaborado a partir da realidade de cada educador, de seu conteúdo e seus objetivos.

Plano de aula

Escola: Escola Educacional
Disciplina: Língua Portuguesa
Série: 6º ano do Ensino Fundamental

Tema da aula: Textos Científicos

Número de aulas previstas: 10 aulas

Conteúdos: – Verbete do dicionário
– A nota de enciclopédia
– Produção de textos

Objetivos: – Reconhecer a diferença entre o verbete de dicionário e a nota de
Enciclopédia.
– Buscar no dicionário os significados das palavras do texto
– Dar-se conta da utilidade e o número de informações de um
verbete de dicionário.

Procedimentos: No início da aula será proposto um pequeno diálogo com os alunos para a verificação do conhecimento prévio do tema com as perguntas:
_ Quem consulta o dicionário com frequência?
_ Por que alguém utilizaria um dicionário?
_ Qual a utilidade de um dicionário?
Após este diálogo faremos a leitura do texto: O dicionário genial. O texto será contado de maneira criativa para a atenção dos alunos.
Após a leitura e em grupos procuraremos alguns verbetes no dicionário como, por exemplo, as palavras alface e cola que se encontram no texto.

A atividade será complementada com a relação de palavras com duplo sentido que identificarem no texto.
Realizaremos as anotações coletivas dos conceitos aprendidos em sala e como atividade extraclasse será proposta uma produção de texto com o tema: as palavras e suas origens.

Recursos didáticos:

– Dicionário
– Enciclopédia
– Dramatização do texto pelo educador
– Produção de textos

Avaliação: A avaliação acontecerá de forma contínua iniciada nas perguntas orais diagnóstica no início das aulas. Posteriormente, a atenção dos alunos durante a leitura do texto e possíveis questionamentos que poderão ser levantados.

O trabalho em grupo, a cooperação na busca dos verbetes no dicionário e o registro dos conceitos. Nesta atividade será avaliada a relação que o aluno fará com as palavras que possuem duplo sentido, na escrita de uma frase com a utilização da palavra cola.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *