Crianças, Dicas, Pais e Filhos

Ensine as meninas a serem corajosas, não perfeitas


Ensine as meninas a serem corajosas, não perfeitas: As meninas também são lutadores valentes.

Ao longo dos séculos, a sociedade ocidental tem sido responsável por acentuar as diferenças entre meninos e meninas. As crianças são ensinadas a manter-se fortes diante da adversidade, não mostrar suas emoções e desafiar os perigos, enquanto as meninas têm ensinado a ideia de que eles são o “sexo mais fraco”, podem ser mais emocionais e ele repete que sua tarefa é tornar-se mulheres perfeitas.

Não deixe de ver: 

Felizmente, nos últimos anos, avançamos em termos de igualdade de gênero, mas é difícil apagar de forma simples as idéias sexistas que arrastamos durante diferentes gerações e que, embora nem sempre estivéssemos conscientes disso, pode representar um fardo para a desenvolvimento infantil. Isso explica porque até hoje alguns pais continuam a dizer aos filhos que “os homens não choram” e que eles não devem ter medo, enquanto as meninas são educadas para parecerem perfeitas o tempo todo, como se fossem princesas.

Ensine as meninas a serem corajosas, não perfeitas

Meninas mais vulneráveis ​​e menos seguras de si mesmas

Em um estudo realizado na Universidade de Columbia, os pesquisadores avaliaram as estratégias de enfrentamento implementadas por um grupo de meninos e meninas que estavam na quinta série diante de uma série de problemas novos e complexos. Quando apresentados com os problemas, os pesquisadores descobriram que crianças mais inteligentes assumiram as tarefas como um desafio, o que os motivou a se esforçar para encontrar uma solução. Em contraste, meninas mais inteligentes não se comportaram da mesma forma, mas eram mais propensas a deixar a tarefa rapidamente.

Qual a diferença de atitude?

Os pesquisadores acreditam que as meninas foram vítimas do que é conhecido como “desamparo aprendido”, um conceito que se refere a comportamentos passivos gerados como resultado de não ter alcançado os resultados esperados no passado após várias tentativas. No caso das meninas, o desamparo aprendido vem de um estilo educacional super protetivo, que até se torna incapacitante, porque faz com que as jovens invistam confiança nas suas habilidades e, portanto, desista rapidamente.

Desta forma, enquanto as crianças assumiam que não podiam resolver os problemas porque eram muito complicadas, as meninas duvidavam de sua capacidade de alcançá-lo e perderam rapidamente a confiança. É uma diferença substancial na forma de pensar sobre si mesmos que pode levá-los através de caminhos muito diferentes na vida.

Para uma educação centrada na autoconfiança

Infelizmente, os resultados desta experiência não representam casos isolados. Isso acontece quando as meninas são educadas para serem perfeitas e se comportar com moderação em todos os momentos, quando a sua capacidade de descobrir o mundo e assumir desafios é limitada, quando eles são feitos para duvidar de suas habilidades porque eles são ensinados que em certos campos não é necessário Para tentar muito, porque são o patrimônio dos homens.

A boa notícia é que nem sempre tem que ser assim, a mudança está nas mãos dos pais. Portanto, se você quer que sua filha se torne uma mulher confiante, tente:

  • Incentive-a a descobrir o seu entorno, a sempre ir mais longe, correr riscos e não ter medo do desconhecido.
  • Ensine-o a confiar em suas habilidades e a assumir obstáculos como oportunidades para crescer e aprender.
  • Motive-a a assumir novos desafios e a perseguir seus sonhos onde quer que eles a levem, sem pensar que certos campos são apenas para homens.
  • Ele alimenta a sua auto-estima todos os dias, não só dizendo-lhe o quão precioso é, mas também o quão corajoso e perseverante.
  • Explique que cada pessoa é única, independentemente do sexo, raça ou status social, e que todos deveriam ter as mesmas oportunidades de crescer e se expressar.

Ensine as meninas a serem corajosas, não perfeitas


Ensine as meninas a serem corajosas, não perfeitas
5 (100%) 1 vote

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *