Crianças, Dicas, Pais e Filhos

Como ajudar uma criança a ter menos vergonha


Como ajudar uma criança a ter menos vergonha: Você é o melhor exemplo de seus filhos.

A vergonha das crianças pode ser um problema, as crianças geralmente querem agradar as pessoas que cuidam delas e que são de referência. Eles estão errados, todos nós fazemos isso, é normal na vida … mas dentro de seu ser eles querem e têm o desejo e o desejo de fazer o certo. As crianças, naturalmente, tornarão adultos empáticos, gentis e respeitosos,mas isso exigirá tratá-los com a mesma gentileza e respeito que esperamos deles. Mas quando uma criança sente vergonha, essa conexão com os pais pode ser quebrada.

Veja também: 5 ensinamentos fundamentais para crianças educadas

O pior disso é que nossa influência também desaparecerá como se nunca estivesse lá, algo que certamente pode ser realmente frustrante para alguns pais. Mas, nessas circunstâncias, como você pode ajudar seus filhos a se sentir bem e não quebrar o vínculo especial que o liga?

Como ajudar uma criança a ter menos vergonha

Concentre-se no comportamento, não na pessoa

Todas as crianças vão fazer coisas que podem nos deixar confusas, irritadas ou frustradas. Em vez de fazer um comentário sobre crianças que fizeram algo errado – como: “você é tão ruim”, é necessário falar sobre o que eles fizeram – como: “Estou muito chateado porque você empurrou teu irmão. Eu entendo que você está com raiva, mas o que teria sido melhor fazer? ‘-. Disciplina significa ensinar, e a melhor coisa a ensinar é fazê-lo com paciência, amor e orientação.

Expanda sua consciência emocional

As pessoas devem poder ter seus próprios sentimentos em relação a nós mesmos e aos outros, isso significa que temos uma forte inteligência emocional. A vergonha irá esmagar a oportunidade de expandir o vocabulário emocional porque ele elimina diretamente o diálogo. O diálogo e a comunicação são essenciais para a compreensão das pessoas, mesmo quando as coisas não estão indo bem.

Quando os limites são estabelecidos, é necessária uma boa comunicação. Ao definir os limites, você precisa estabelecer uma declaração forte sobre o impacto do comportamento das crianças, por exemplo: “Estou chateado porque me mentiu e agora estou confuso sobre o que estava pensando” ou talvez: ” Sinto-me irritado quando vejo você empurrar Para sua irmã assim, eu sei que você é melhor do que isso. Isso significa que você não precisa falar mal de seus filhos – como: “você é um mentiroso” ou “você é ruim”, algo que pode afetar negativamente seu desenvolvimento.

Não há nada de errado com as crianças

Não há nada de errado com as crianças, nem há nada de errado em se sentir bravo, chateado ou frustrado em resposta ao comportamento, enquanto você fala sobre seu comportamento e não sobre eles. É assim que o mundo funciona e você não faria seus favores se você permitir que ela comece a responder às coisas que acontecem no mundo com indiferença.

É importante que eles aprendam a não se deixar levar por emoções, como raiva ou tristeza, porque podem ser assustadoras para as crianças, mas para que não se torne uma emoção tão terrível, é necessário que elas saibam quais são essas emoções e por que o que pode ser causado Conhecer as emoções e dar-lhes um nome é o primeiro passo da inteligência emocional. Assim, é uma prioridade que existe uma comunicação positiva entre pais e filhos e que a conexão emocional é positiva.

Seja a pessoa que deseja que seus filhos sejam

E também tratá-los como você quer que eles tratem os outros. As crianças observam tudo o que fazemos e também o que você faz sem perceber. Não há maior influência sobre as crianças do que se comportar como você quer que elas sejam. Responda ao mundo da mesma forma que você quer que eles respondam ao mundo. Desta forma, seus filhos podem ver a coerência entre o que você diz o que você faz.


Como ajudar uma criança a ter menos vergonha

Se gostou da postagem “Como ajudar uma criança a ter menos vergonha”, não deixe de compartilhar com seus amigos nas redes sociais e também deixe um comentário aqui em nosso site com sua opinião e sugestões para outras postagens.

Curta nossa página no Facebook: @SÓ ESCOLA



One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *