Início Datas Comemorativas PROJETO: MEIO AMBIENTE PRESERVADO – QUALIDADE DE VIDA E SUSTENTABILIDADE NO FUTURO

PROJETO: MEIO AMBIENTE PRESERVADO – QUALIDADE DE VIDA E SUSTENTABILIDADE NO FUTURO

28
0
COMPARTILHAR
No cenário da escola atual os envolvidos no processo educativo entendem que ensinar, hoje, é apresentar oportunidades, para que os alunos enriqueçam sua aprendizagem, e ver que a educação é base fundamental para que os indivíduos possam usufruir dos mesmos direitos constituídos numa sociedade democrática.

PROJETO: MEIO AMBIENTE PRESERVADO – QUALIDADE DE VIDA E SUSTENTABILIDADE NO FUTURO

Introdução: 
No cenário da escola atual os envolvidos no processo educativo entendem que ensinar, hoje, é apresentar oportunidades, para que os alunos enriqueçam sua aprendizagem, e ver que a educação é base fundamental para que os indivíduos possam usufruir dos mesmos direitos constituídos numa sociedade democrática. À medida que as instituições desejam o melhoramento contínuo e também dar respostas às necessidades e expectativas de seus membros, elas optam por fazer suas escolhas de planificação, uma vez que se deseja uma organização eficiente que agregue valores de aprendizagem e contribua para o progresso dos alunos. Por isso, os responsáveis pela escola Maria Gabriela Oliveira demonstram estar comprometidos com o melhoramento contínuo dos processos de trabalho educativo e desejam formar cidadãos autônomos capazes de tomar decisões e de resolver problemas. É nesse sentido que a execução de projetos metodológicos na Escola tem sido uma forma de estimular o interesse dos alunos e alunas pela aprendizagem.

O TRABALHO POR PROJETOS
As diretrizes da Educação Básica dizem que toda pessoa – criança, adolescente ou adulto – precisa se beneficiar de mínima formação para responder as suas necessidades educativas e os PCNs propõem a formação de cidadãos capazes de posicionar-se de maneira crítica; perceber-se integrante, dependente e agente transformador do ambiente; utilizar as diferentes linguagens e fontes de informação; questionar a realidade formulando problemas e tratando de resolvê-los.
A proposta dos PCNs (1998) está centrada em grandes temas que, se integrados às áreas de conhecimento e explorados em projetos bem definidos podem dar sentido às ações cotidianas e está de acordo com a proposta pedagógica da escola e a interdisciplinaridade é uma característica da MP que oportuniza uma formação pluralista, baseada na aquisição de múltiplos conhecimentos. E possibilita ao aluno a oportunidade de uma postura indagativa, que o estimule a pensar com independência o que implica na formação do pensamento crítico. Ampliando sua capacidade comunicativa e colaborativa. 
Para Paulo Freire (1996) alunos bem formados desenvolvem o pensamento crítico e formam ideias com sentido próprio e pessoal. 

O educador democrático não pode negar-se o dever de, na sua prática docente reforçar a capacidade crítica do educando, sua curiosidade, sua insubmissão. Uma das tarefas primordiais é trabalhar com os educandos a rigorosidade metódica com que se deve “aproximar” dos objetos cognoscíveis. (FREIRE, 1996, P.26)

A moderna pedagogia orienta o trabalho do professor no sentido de introduzir uma nova prática que oriente o aluno a construir competências e, para isso, coloca-o em situações que o obrigam a alcançar uma meta, a resolver problemas, a tomar decisões como afirma Perrenoud (2001). Assim, os educadores da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Prof. Maria Gabriela Ramos de Oliveira vem trabalhando para fazer o trabalho por projetos se tornar uma prática constante no cotidiano de seus membros.
A palavra projeto vem do latim projectus – algo lançado para frente. Para Barbier (in Machado, 2000) o projeto não é uma simples representação do futuro, do amanhã, do possível, de uma ideia, é o futuro a fazer, um amanhã a concretizar, um possível a transformar em realidade, uma ideia a transformar em ação. Portanto, projetar requer abertura para o desconhecido e flexibilidade para reformular as metas, à medida que as ações projetadas evidenciam novos problemas e dúvidas.
Hernandez e Ventura (1998) afirmam:

 “A função dos projetos é favorecer a criação de estratégias de organização dos conhecimentos escolares… “(Hernandez e Ventura, 1998, p. 61)

Para Boutinet, parece consenso que a “pedagogia do projeto vem da necessidade de quebrar o quadro coercitivo dos programas escolares para suscitar certa criatividade” (Boutinet, 2002, p.180). Segundo ele, essa metodologia é apropriada para valorizar o respeito ao aluno, assim como a sua expressão num contexto em que se pretende uma formação individualizada, o que seria de grande valia para a eficácia da transformação do aluno em sujeito de sua própria formação. 
Projeto educacional (PE) e projeto pedagógico (PP) – Boutinet (2002) considera importante fazer a diferença entre PE e PP. No PE a participação do aluno em segundo plano – objetivo atingir um número bastante significativo de pessoas. O PP limita-se ao ambiente escolar, porque envolve dois agentes: o professor (ou grupo de professores) e os alunos.
As competências dos alunos no trabalho por projeto – Ao trabalhar por projetos espera-se que os alunos demonstrem raciocínios explícitos, tomem decisões conscientes, sejam capazes de fazer inferências e hesitações, produzam ensaios e cometam erros. (Perrenoud, 2001)
Competências do professor no trabalho por projetos
  • Incentivar e orientar o trabalho experimental;
  • Aceitação dos erros como fonte de regulação e progressão, desde que analisados e entendidos;
  • Valorizar a cooperação entre os alunos;
  • Explicitar e ajustar o contrato didático;
  • Ouvir as resistências dos alunos e levá-los em consideração;
  • Engajar-se no trabalho, mas ficando sempre na posição de árbitro.

A escolha do tema do projeto
A escolha do tema pode estar relacionada com outros projetos já trabalhados, mas também pode ser definido de acordo com os interesses dos alunos. O importante nesse momento é que o professor lance propostas e as próprias crianças se incumbem de julgá-las, respeitando critérios de relevância, a relação que o tema tem com outros trabalhos já desenvolvidos e fazendo com que o grupo conduza as buscas de informação de forma que possam encontrar múltiplas possibilidades de aprendizagem.
OS RECURSOS e as NTICs – No trabalho por projetos os recursos precisam ser interessantes e pertinentes, considerando-se a idade e o nível dos alunos, o tempo e as competências que se pretende desenvolver. Para estimular o interesse, além de se buscar valorizar a biblioteca da escola, nada mais inovador que colocá-los diante de uma nova forma de trabalho e de processamento de aprendizagens, como a inserção das novas tecnologias no ambiente escolar, uma vez que as redes eletrônicas se constituem numa verdadeira indústria de conhecimentos (Brunner, 2000). Perrenoud comunga dessas idéias quando diz:
Formar para as novas tecnologias é formar o julgamento, o senso crítico, o pensamento hipotético e dedutivo, as faculdades de observação e de pesquisa, a imaginação, a capacidade de memorizar e classificar, a leitura e a análise de textos e imagens, a representação de redes, de procedimentos e de estratégias de comunicação. As novas tecnologias transformam não só nossa maneira de comunicar, mas também de trabalhar, de decidir, de pensar (Perrenoud, 2000).
Na sociedade do conhecimento onde há a exigência de um indivíduo crítico, criativo e reflexivo, a presença das novas tecnologias no setor educacional requer profundas modificações de formação e preparação dos professores e alunos.
A escola tem importante papel a cumprir na sociedade, ensinando os alunos a se relacionar de maneira seletiva e crítica com o universo de informações a que têm acesso no seu cotidiano. (PCNs- 5 a 8 série, p.139)
O projeto de ensino com uma visão interdisciplinar
A formação pluralista, baseada na aquisição de múltiplos conhecimentos (PCNs, 1998), é o que abre a possibilidade de análise do mundo em que se vive e de suas rápidas transformações sociais, tecnológicas e científicas. E nesse sentido é fundamental o papel das ciências humanas, pois as bases da liberdade e da grandeza de um povo se fundamentam na organização e no desenvolvimento da cultura filosófica, científica, literária e artística. Baseando-se nesses princípios, o trabalho com abordagens interdisciplinares, como nos projetos, possibilita ao aluno a oportunidade de uma postura indagativa, que o estimule a buscar novas respostas, a pensar com independência e a não aceitar postulados como definitivos ou únicos: é possibilitar a formação do pensamento crítico.
É importante considerar que nos tempos atuais as propostas de modelos de projetos devem apresentar flexibilidade e podem se adaptar em função do acelerado ritmo de transformação da sociedade, e também seja adaptável às características dos alunos com os quais se pretende trabalhar. 
1. PROJETO: MEIO AMBIENTE PRESERVADO: QUALIDADE DE VIDA E SUSTENTABILIDADE NO FUTURO
Designado pelas Nações Unidas, 05 de junho, o dia Mundial do Meio Ambiente é celebrado no mundo todo como uma oportunidade para desenvolver atividades que valorizem a conservação ambiental. Muitos programas ecológicos têm sido desenvolvidos em todo país, mas ainda há necessidade de se tratar o tema com seriedade, principalmente no âmbito educativo. Quando se começa a perceber melhor a natureza, passa-se a agir de forma mais consciente. É isso que falta para as populações de todo o mundo. É importante que o contato com a natureza e seus problemas se torne algo frequente no ambiente escolar e assim, os alunos possam intensificar o debate ecológico e tomar consciência da necessidade de mudar seus hábitos e atitudes em relação à preservação e cuidados com o meio ambiente, de forma que, no futuro, assumam compromisso com uma política de desenvolvimento sustentável. O Projeto: Meio ambiente preservado: qualidade e sustentabilidade no futuro é uma iniciativa que deverá contemplar a comunidade escolar com ações práticas que incentivem cuidados e hábitos saudáveis para a preservação do meio ambiente. 
Justificativa   
                                                    
A importância de desenvolver um trabalho voltado para a conscientização da comunidade escolar para a preservação do meio ambiente é uma preocupação de todos na Escola Maria Gabriela. Os conteúdos trabalhados vão além das salas de aula, pois temas relevantes são apresentados aos alunos nos espaços de que a escola dispõe: laboratórios (Ciências, Matemática, Redação e Informática), pátio, biblioteca, ambiente virtual que são lugares de descobertas e realizações. O aluno investiga, elabora conceitos e constrói o seu conhecimento, deste modo, a escola incentiva formação de seus alunos, desenvolvendo uma democracia de valores culturais. 
A preservação do meio ambiente, antes bandeira de um pequeno grupo de ativistas, passou a ser uma preocupação global e a partir daí políticas governamentais foram adotadas em todo o planeta. Essa inquietação deve-se à valorização da qualidade de vida e à percepção de que a sobrevivência do homem depende diretamente da preservação dos recursos naturais.  Portanto, trabalhando a proposta no espaço escolar, a partir da 5ª serie, fazendo uso dos mais variados recursos de que dispõe a comunidade da escola Maria Gabriela de Oliveira estará desenvolvendo a consciência sobre a importância da necessidade urgente de preparar as crianças de hoje, para que possam viver em um ambiente saudável no futuro.
Objetivos gerais:
1. Apresentar a natureza com suas belezas, curiosidades e fragilidades, mostrar lados positivos e negativos da ação do homem e valorizar a preservação, observar a diversidade das espécies da flora e fauna e os cuidados que devemos ter com a natureza.
2. Conscientizar os alunos e alunas da importância de proteger o meio ambiente para manter a sobrevivência humana na terra.
Objetivos específicos:
  • Promover estudos, pesquisas, debates, palestras e atividades sobre as questões ambiental, alimentar e nutricional;
  • Oportunizar trabalhos escolares dinâmicos, participativos, prazerosos, inter e transdisciplinares;
  • Estimular descobertas e inovações tecnológicas na escola;
  • Gerar aprendizagens múltiplas;
  • Integrar os diversos profissionais da escola por meio de estudos e pesquisas sobre o tema currículo escolar;
  • Oportunizar a participação da comunidade nas atividades escolares;
  • Propiciar o comprometimento dos educandos com o ambiente
  • Gerar relações interpessoais mais respeitosas das individualidades e diversidades, além de práticas humanas mais cooperativas, solidárias e fraternas.
METODOLOGIA: 
Os alunos participarão de várias atividades relacionadas à preservação do meio ambiente como: passeio ecológico, gincana de conhecimento, produção de horta e plantio de espécies ornamentais, produção de vídeos, painéis, murais, jornal impresso.
ATIVIDADES:
1. Gincana Ambiental
Com uma mistura de tarefas sobre conhecimento de fauna, flora, coleta de lixo, dentre outros, as equipes responderão perguntas sobre o meio ambiente, a partir dos textos estudados em Sala de Aula.
Organizar as tarefas para a gincana
Elaborar perguntas de conhecimento sobre questões ambientais.
Os alunos das turmas 801T e 802T serão os atores da gincana. As turmas, divididas em grupos desenvolverão miniprojetos para serem apresentados a partir de uso dos recursos tecnológicos de que a escola dispõe.
Grupos: 1. Lixo eletrônico; 2. Reciclagem; 3. Mini horta; 4. Escola Limpa; 5. Materiais plásticos; 6. Poluição
2. Caminhada Ecológica
Professores envolvidos: Fátima (Estudos Amazônicos e História); Elizabeth (Ciências) e Aricleide ( Língua Portuguesa)
Local de visitação: Parque Seringal em Ananindeua
Objetivo Geral: estimular a observação de elementos naturais e a extração de produtos da natureza de forma sustentável.
Objetivos específicos:
  • Compreender a natureza reconhecendo suas interações no espaço e no tempo.
  • Identificar o processo de utilização do seringal como meio sustentável e as relações do homem considerando aspectos históricos e geográficos.
  • Conhecer a história dos seringais na Amazônia.

Ações:
  • Mural de fotos
  • Apresentação de vídeos
  • Exposição de produtos derivados da borracha
  • Quadrinha “Xote Ecológico”
  • Premiação da melhor redação – Tema: Museu Parque Seringal: Contando a história da borracha

3. Palestras para as 5ª e 6ª séries: convidados: desbravadores 
4. Oficinas de reciclagem sobre lacres, garrafas PET, papel, sobras de tecidos.
O trabalho com esse material fundamenta a visão de que tudo pode ser renovado ou transformado, em oficinas com sucatas, que incentivam a arte de reciclar o lixo em papel artesanal e material eletrônico.
5. Passeio na Feira do Conj. Maguari
Professores envolvidos: Dineide (História) e Márcio (Inglês)
Objetivo: Observar o desperdício de alimentos na Feira
Atividade: Produção de documentário, mural e sopão
6. Construção de cenários educativos
Contrastando uma mata preservada e com habitats degradados em consonância com a cultura junina
7. Exposição de fotos: degradação ambiental e solução para o problema da degradação  
8. Distribuição de amostras do adubo orgânico: Decomposição do lixo
  • Contação de histórias para crianças
  • Oficina de reciclagem de garrafas PET
  • Plantio de espécies ornamentais
  • Abraço simbólico às arvores 

8. Apresentação de danças, teatro e produções de vídeos
  • Teatro a partir de mitos e lendas da Amazônia: Fantoche –  A  bruxa porcalhona
  • Filme: Os animais unidos jamais serão vencidos”- Exposição de cartazes
  • Produção de mural criativo em linguagem não verbal
  • Experimento: A eletrização por atrito
  • Danças explorando as músicas sobre o meio ambiente
  • Horta suspensa de garrafas pet
  • Paródia
  • Apresentação de vídeos
  • Ações:
  • Estimular a doação de material de construção para revitalização do muro
  • Promover a coleta de mudas e sementes para a horta
  • Estimular a doação de mudas ornamentais
  • Construir uma horta suspensa no muro com garrafas pets
  • Planejar a área para decorar com plantas ornamentais
  • Estimular a doação de recipiente para a coleta seletiva
  • Organizar a coleta seletiva de lixo
  • Oferecer oficina de reciclagem do lixo eletrônico

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here