CONFIRA: LISTA COM 1000 ATIVIDADES PRONTAS PARA IMPRIMIR

Um roteiro semanal completo de atividades permanentes de alfabetização



Atividades de leitura que envolvam o professor e a turma podem ocorrer todos os dias. (Foto: Mariana Pekin)
Desde que Emilia Ferreiro e Ana Teberosky descobriram o papel ativo das crianças no processo de alfabetização, amplas linhas da Pedagogia passaram a defender que o professor exerça um papel de mediador, que cria situações reais de leitura e escrita que permitam o avanço. É daí que vem a preocupação, que você já conhece muito bem, de construir uma rotina de imersão na cultura escrita, sem amenizar artificialmente a complexidade dela.

Diante dessa necessidade, é preciso entender que os grandes projetos são importantíssimos na alfabetização, mas as chamadas atividades permanentes, aquelas rotineiras, tem um papel fundamental. São elas que garantem o contato constante do aluno com o sistema de escrita.

Por isso, hoje eu quero falar do básico, do arroz com feijão da alfabetização! Abaixo, há um roteiro semanal com atividades de leitura e escrita simples, permanentes e diversificadas. Elas podem ser individuais, em duplas ou em grupos (sempre levando em conta as hipóteses de escrita dos alunos) e contemplam diversos tipos de textos, como listas, artigos informativos, canções etc.

A partir desses modelos, você poderá escolher os textos que desejar, adaptá-los ao tempo de aprendizagem da sua turma (algumas precisam de mais tempo para desenvolver as atividades) e adequá-las à faixa etária. Ah, e um detalhe importante: todos os materiais impressos devem estar em letra de imprensa – se possível, maiúscula – para facilitar a leitura.

Segunda-feira
  • Apresentação, leitura e exploração oral, feita pelo professor aos alunos. Para essa atividade, escolhi o livro A cesta da Dona Maricota, de Tatiana Bellinky. É uma narrativa divertida, toda feita em versos rimados. As crianças adoram!
  • Escrita de texto: lista com nomes de alimentos. Cada aluno deve elaborar uma lista de compras para a sua família. Os silábico-alfabéticos e alfabéticos escrevem sozinhos. Pré-silábicos e silábicos com ou sem valor sonoro podem fazer a tarefa em dupla, com as devidas intervenções do professor. Outra opção é que eles escrevam na lousa e socializem suas escritas com os demais colegas que estejam em hipóteses iguais ou próximas às suas, discutindo modificações para chegar à forma correta. Tanto na primeira como na segunda opção, faça perguntas a respeito das escolhas feitas e peça que leiam a palavra acompanhando-a com o dedo.
  • Leitura de texto: lista de nomes de vegetais. Ofereça uma lista impressa com nomes de vegetais e dite as palavras de forma aleatória. Ao ouvirem o nome, os alunos devem procurá-lo na lista e numerá-lo (Primeira palavra, número 1, segunda palavra, número 2, e assim por diante). Escolha palavras que iniciem com a mesma letra ou com sons próximos, como escarola e espinafre, cenoura e cebola etc. Isso porque, nessa fase, os alunos silábicos com valor sonoro, muitas vezes, se baseiam na primeira letra para ler a palavra, o que faz com que a sequência semelhante se torne um desafio, uma vez que ele precisará das outras letras para identificar as palavras. Se, por exemplo, a lista tiver apenas uma palavra que começa com a letra e, e eu ditar "espinafre", o aluno acertará, mas isso não quer dizer que ele a leu necessariamente.
Terça-feira
  • Apresentação, leitura e exploração oral, feita pelo professor aos alunos. Nesta, sugiro Sabores da América, de Ana Maria Pavez e Constanza Recart. Esse livro é simplesmente maravilhoso: a cada página, encontramos a origem de um alimento do continente americano.
  • Leitura pelos alunos de texto de memória. Faça um cartaz com a letra da canção Fui no mercado comprar café (há uma versão da Eliana e outra da Galinha Pintadinha) e o coloque em um local onde todos tenham boa visão. Cante e leia com os alunos a letra da canção, indicando linha a linha a leitura. Depois, distribua cópias impressas da letra, uma para cada um, e leiam juntos. Peça que os alunos acompanhem a leitura com o dedo e dite palavras a serem procuradas no texto.
  • Escrita de palavras com o alfabeto móvel. Peça que os alunos escrevam nomes de frutas, legumes ou verduras utilizando as peças. Os silábico-alfabéticos e alfabéticos escrevem individualmente e escolhem livremente as letras que usarão. Já os pré-silábicos e silábicos com e sem valor sonoro podem trabalhar em dupla, se necessário, mas devem receber o conjunto de letras correto. O desafio de formar a palavra corretamente sem deixar nenhuma letra de fora leva a criança a confrontar sua hipótese de escrita e avançar rumo à escrita alfabética.
Quarta-feira
  • Apresentação, leitura e exploração oral, feita pelo professor aos alunos. Aqui, vamos retomar um dos textos do livro Sabores da América, usado no dia anterior. Escolhi “A origem do tomate”.
  • Leitura de texto. Os alunos alfabéticos leem para os demais alunos outras páginas do livro, sobre a origem de outros alimentos.
  • Escrita de texto coletivo no formato “Você sabia”. Releia a página do texto sobre o tomate pelo menos duas vezes. Em seguida, peça que os alunos destaquem oralmente as principais informações sobre o fruto. Por fim, eles devem ditar a você, que será a escriba, essas informações para construir o texto na lousa. Uma observação importante: se os alunos não conhecem esse formato “Você sabia”, é preciso oferecer modelos antes.
Quinta-feira
  • Leitura do livro. O escolhido é Rimas saborosas, de César Obeid. Nele, o autor explica como pode ser divertido e gostoso se alimentar bem. O livro traz curiosidades sobre vegetais, receitas e informações nutricionais, tudo escrito em versos cheios de rima.
  • Escrita de texto coletivo em grupos: cartaz. Cada grupo desenha e escreve uma mensagem para compor uma peça que incentive a alimentação saudável para ser exposto em um mural da escola. Um grupo faz o cartaz sobre frutas, outro, sobre verduras, outro, sobre legumes. Não se esqueça de fazer agrupamentos produtivos.
Sexta-feira:
  • Leitura do livro. O último da semana é Poemas e comidinhas, de Roseana Murray.
  • Leitura e cantoria. Cantem e leiam juntos a música O que é que tem na sopa do neném, do Palavra Cantada, nos mesmos moldes da atividade de leitura de textos de memória, feita na terça-feira. Retire apenas a etapa de distribuição de cópias e ditado.
  • Escrita de texto: receita de sopa para neném. Os alunos deverão escrever uma receita de sopa, executando a atividade em duas etapas. Os alunos pré-silabicos e silábicos com e sem valor sonoro escreverão os ingredientes, e os silábico-alfabéticos e alfabéticos ficam com o modo de fazer. Ofereça uma folha impressa com as lacunas de uma receita (espaço para título, ingredientes e modo de fazer) que serão preenchidas. Primeiro, a folha passa pelos alunos de hipóteses iniciais e depois vai para os outros. Todos podem trabalhar em duplas. Deixe que os alunos escolham os ingredientes à vontade e oriente-os para garantir a unidade textual. Por fim, é só socializar as produções para que a turma avalie se o texto ficou claro.
Fonte: Nova Escola
Por: Blog de Alfabetização - Mara Mansani

COMENTE pelo Facebook:

Postagens Relacionadas

Próximo
Anterior

0 comentários:

Acompanhe !!

Conteúdo para Estudantes, Pais e Professores.

Exercícios, Atividades Educativas, Alfabetização infantil, Atividades Infantis, Atividades Lúdicas, Atividades para Imprimir, Atividades Pedagógicas, Atividades para Professores, Artesanato, Artigos Educacionais, Autismo, Berçário, Moldes para Imprimir, Datas comemorativas, Maternal, Folclore, Planos de Aula, Sequências Didáticas, Planos de Aula, Livros Infantis, Início Ano Letivo, Desenhos para colorir, Imagens Educativas, Notícias sobre os Vestibulares e Enem, Monografias e mais.