Início ATIVIDADES Simuladinho: 15 Atividades de Interpretação de Texto

Simuladinho: 15 Atividades de Interpretação de Texto

48
0
COMPARTILHAR
Simuladinho: 15 Atividades de Interpretação de Texto
Simuladinho: 15 Atividades de Interpretação de Texto
Olá amigos e amigas do SÓ ESCOLA. Nesta postagem trago para vocês um simulado com 15 atividades de interpretação de texto.

Este simulado é indicado para os alunos do Ensino Fundamental – 6º ano

___________________________

Meio ambiente na berlinda

Simuladinho: 15 Atividades de Interpretação de Texto
Meio ambiente na berlinda
1. O texto apresenta uma crítica à/ao:
A) devastação ambiental.
B) a relação entre pais e filhos.
C) o desejo de conhecer o passado da mãe.
D) a valorização do presente.
 2. A palavra que estabelece relação de tempo é:
A) já.
B) pequena.
C) quando.
D) ou.
3. No texto, qual palavra permite mais de um sentido?
A) meio
B) pequena.
C) mamãe.
D) ambiente.
 4. O verbo predominante nesse texto é:
A) de ligação.
B) transitivo direto.
C) intransitivo.
D) transitivo indireto.
Leia o texto para responder às questões de 5 a 12.
As enchentes de minha infância
        Sim, nossa casa era muito bonita, verde, com uma tamareira junto à varanda, mas eu invejava os que moravam do outro lado da rua, onde as casas dão fundos para o rio. Como a casa dos Martins, como a casa dos Leão, que depois foi dos Medeiros, depois de nossa tia, casa com varanda fresquinha dando para o rio.
       Quando começavam as chuvas a gente ia toda manhã lá no quintal deles ver até onde chegara a enchente. As águas barrentas subiam primeiro até a altura da cerca dos fundos, depois às bananeiras, vinham subindo o quintal, entravam pelo porão. Mais de uma vez, no meio da noite, o volume do rio cresceu tanto que a família defronte teve medo.
        Então vinham todos dormir em nossa casa. Isso para nós era uma festa, aquela faina de arrumar camas nas salas, aquela intimidade improvisada e alegre.
        Parecia que as pessoas ficavam todas contentes, riam muito; como se fazia café e se tomava café tarde da noite! E às vezes o rio atravessava a rua, entrava pelo se tomava café tarde da noite! E às vezes o rio atravessava a rua, entrava pelo nosso porão, e me lembro que nós, os meninos, torcíamos para ele subir mais e mais.
        Sim, éramos a favor da enchente, ficávamos tristes de manhãzinha quando, mal saltando da cama, íamos correndo para ver que o rio baixara um palmo – aquilo era uma traição, uma fraqueza do Itapemirim. Às vezes chegava alguém a cavalo,
dizia que lá, para cima do Castelo, tinha caído chuva muita, anunciava águas nas cabeceiras, então dormíamos sonhando que a enchente ia outra vez crescer, queríamos sempre que aquela fosse a maior de todas as enchentes.
BRAGA, Rubem. Ai de tiCopacabana. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1962. p. 157.
5. No texto,  “As enchentes de minha infância”,o narrador relata:
A) as experiências de um adolescente  em uma cidade grande.
B) de uma criança criada em uma rua simples e familiar.
C)  a violência das enchentes naquela época.
D)  a experiência de uma viagem a cavalo.
6. O texto é um/uma:
A) Relato de memórias.
B) poema.  

C) fábula.    

D)  carta.
 7.  No primeiro parágrafo, o narrador:
A) descreve o ambiente.
B)  narra às ações do personagem.
C) critica a localização das casas.
D) defende o desmatamento das casas dos vizinhos.
8. As enchentes do rio causavam nas crianças:
A)  desespero.
B)  pânico.
C)  dúvida.
D)  alegria
9. O narrador invejava os que moravam do outro lado da rua, porque:
A)  as pessoas pareciam contentes.
B) vinham todos dormir em nossa casa.
C) as casas dão fundos para o rio.
D) o rio atravessava a rua, entrava pelo se tomava café.
10. Os verbos presentes no texto estão predominantemente no:
A. pretérito perfeito.
B. pretérito  imperfeito.
C. presente.
D. futuro do presente.
11. A palavra destacada, na oração,  indica uma relação de:
“Depois de nossa tia, casa com varanda fresquinha dando para o rio.”
 A) assunto.
B) finalidade.
C) assunto.
D) direção.
12. A palavra destacada,  na oração abaixo, é:
“Às vezes chegava alguém cavalo, dizia que lá,”
A. artigo definido.
B. pronome.
C. preposição.
D. artigo indefinido.
Leia o texto para responder as questões seguintes.
Saudosa Maloca
Se o sinhô num tá lembrado,
dá licença de contá,
é que onde agora está
esse edifício arto,
era uma casa véia,
um palacete assombradado.
Foi aqui, seu moço,
que eu, Mato Grosso e o Joca
construímo nossa maloca.
Mas um dia, nóis nem pode
sealembrá,
veio os home co’as ferramenta:
o dono mandôderrubá.
Adoniran Barbosa, tirada do livro de Carmen Silvia Carvalho, Construindo a Escrita: Leitura e Interpretação, ilustração de Carlos Avalone e Célia Kofuji, São Paulo, Ática, 1996, volume 3, p. 70.
13. Em: “construímos nossa maloca”(v-9). A palavra em destaque pode ser substituída sem mudança de sentido por
(A) casa.
(B) cidade.
(C) mansão.
(D) palácio.
14. No verso: “Veio os home co’as ferramenta:” A expressão sublinhada quer dizer.
(A) com as
(B) como as
(C) comoas
(D) como-as.
 15. A linguagem empregada no poema é típica de:
(A) pessoas que moram na zona rural.
(B) pessoas que são intelectuais.
(C) pessoas que estudam na escola.
(D) pessoas que conversam no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here