CONFIRA: LISTA COM 1000 ATIVIDADES PRONTAS PARA IMPRIMIR

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PARA DOWNLOAD EM PDF



ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PARA DOWNLOAD EM PDF

O CEALE, Centro de Alfabetização, leitura e escrita disponibiliza uma coleção fantástica sobre Alfabetização e Letramento.
O Ceale integra a Rede Nacional de Centros de Formação Continuada do Ministério da Educação.
A coleção de Alfabetização e Letramento conta com 17 cadernos para download em pdf.
Esses cadernos se organizam conforme uma estrutura básica que permitirá ao formador e ao professor terem conhecimentos prévios sobre o tema; situarem a temática na área de conhecimento a que pertence; conhecerem os objetivos de cada caderno; realizar exercícios de aplicação, que podem se referir à revisão de conceitos, à reflexão sobre o processo de aprendizagem, a pesquisas e aplicações práticas na sala de aula.
O material é ótimo para imprimir e estudar nas escolas por educadores alfabetizadores.
Veja abaixo todos os temas que constam na Coleção de Alfabetização e Letramento para baixar. E bons estudos!

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PARA DOWNLOAD EM PDF
ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PARA DOWNLOAD EM PDF
COLEÇÃO: ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
1 – Alfabetização e letramento – O que são a alfabetização e o letramento? Em que consiste alfabetizar e letrar? Que conhecimentos e capacidades estão envolvidos na alfabetização e no letramento? Qual a importância desses conceitos para a prática de ensino da linguagem escrita? Discutir, sob um ponto de vista teórico, respostas a essas perguntas é o objetivo central deste Caderno.
2 – Língua, texto e interação – Este Caderno tem como foco conceitos fundamentais para o ensino e aprendizagem da linguagem escrita: língua, texto e interação. A atuação do professor em sala de aula, as atividades que ele propõe aos alunos, a maneira como ele avalia a fala e a escrita dos alunos, no processo de alfabetização, na leitura e na produção de textos escritos, dependem essencialmente de como ele compreende tais conceitos, sua natureza e seu funcionamento.
3 – Conhecimento linguístico – Neste Caderno são tratadas as relações que se estabelecem entre os aspectos ortográficos do português escrito e o sistema fonológico do português.
4 – Leitura como processo –  Apresenta fundamentos que ajudam a entender como lemos e compreendemos os textos escritos. Por que o aluno muitas vezes não compreende o que ele lê? O que é a leitura? Como construímos sentidos para os textos que lemos? O que fazemos quando lemos um texto? Que habilidades de leitura precisa ter um leitor para ser considerado um leitor competente? É possível continuar ensinando a ler quem já se alfabetizou? Como ajudar o aluno a compreender bem os diversos textos que circulam na sociedade? Como identificar se o aluno sabe ler e compreender?
5 – Produção de textos escritos – Uma construção de espaços de interlocução. O objetivo é propiciar ao professor refletir sobre o processo de apropriação da linguagem escrita, para que ele possa contribuir mais efetivamente para o desenvolvimento da competência discursiva de seus alunos.
6 – Aprendizagem e ensino da linguagem escrita – Este Caderno trata das concepções de aprendizagem e de ensino da linguagem escrita, buscando relacionar essas duas faces do processo de apropriação da escrita. Para tanto, organiza-se em duas partes: na primeira, examina os conceitos de aprendizagem e desenvolvimento e analisa as relações entre esses dois processos, tendo em vista a apropriação da leitura e da escrita; na segunda, volta-se para as implicações das reflexões apresentadas na primeira parte para a definição dos procedimentos de ensino, analisando algumas propostas de atividades didáticas
7 – Organização do trabalho de alfabetização – a organização do processo de alfabetização dos pontos de vista da sala de aula e da escola como um todo. O trabalho com alfabetização e letramento implica que o profissional da alfabetização adquira conhecimentos que lhe indiquem qual a melhor seleção de conteúdos, de métodos de ensino, de procedimentos, que devem ser dimensionados sempre pensando-se nas capacidades cognitivas dos alunos e no sentido da aprendizagem da linguagem escrita. O professor e a escola precisam almejar bons resultados e, para nós, sucesso na alfabetização das crianças significa formação de bons leitores e produtores de textos. Podemos considerar que o grande desafio do alfabetizador, hoje, consiste em organizar o trabalho contemplando, ao mesmo tempo, a apropriação do sistema de escrita e o uso efetivo da leitura e da escrita. Isso significa, em outros termos, alfabetizar letrando.
8 – Métodos e didáticas de alfabetização – História, características e modos de fazer de professores. Este Caderno trata de polêmicas em torno dos métodos, metodologias e didáticas da alfabetização; das características e transformações nos métodos de alfabetização; de permanências e inovações nos princípios metodológicos de ensino inicial da escrita. A temática deste Caderno é muito relevante para a reflexão dos professores alfabetizadores, uma vez que com ela busca-se caracterizar aspectos relacionados à sistematização de práticas docentes de alfabetização em diversos momentos, demonstrando que cada mudança de rumos no pensamento sobre alfabetização acaba alterando também os modos de realizar o ato de alfabetizar.
9 – Literatura e leitura literária – Literatura e leitura literária na formação escolar – O tema deste caderno é a leitura literária.
Neste caderno é mostrado como a literatura apresenta ao leitor interessantes possibilidades de participação, quando mediada por você, professor, em situações que explorem com adequação os recursos da linguagem da ficção e da poesia.
Fornece ainda subsídios para que você, professor, com seus alunos, desenvolvam um processo de leitura literária no contexto escolar, de modo que tal processo não fique restrito à escola, mas seja apropriado pelos alunos e passe a fazer parte de suas vidas.
10 – Produção escrita: com gêneros textuais – Afinal, o que significa a expressão gêneros textuais? Qual a importância desse conceito para o ensino e a aprendizagem de língua portuguesa? Como se pode utilizá-lo no trabalho com produção de textos escritos nas séries ou ciclos iniciais do Ensino Fundamental? Este Caderno busca responder a essas perguntas.
11 – Escrever é reescrever –  O que significa reescrever? Pode-se ensinar a reescrever? Reescrever é o mesmo que corrigir um texto? O que mudar em um texto quando ele é reescrito? Para que serve a reescrita? E uma pergunta que é crucial para o professor: qual o papel do professor na reescrita do texto do aluno?
12 – Desenvolvimento e apropriação da linguagem pela criança – este Caderno está organizado da seguinte forma:
1ª seção: Interação: diálogo e troca comunicativa – discute duas das principais visões sobre como o ser humano adquire ou desenvolve a linguagem – o inatismo e o interacionismo – e, defendendo a importância da segunda visão para o ensino, define interação, troca comunicativa e diálogo; Desenvolvimento e apropriação da linguagem pela criança.
2ª seção: Que é linguagem oral? Os “orais” na sociedade – discute a variedade de linguagens orais existente nas sociedades, seja em termos de variações regionais (dialetos) ou situacionais (registros), seja em termos de formas que os textos orais assumem em sociedade (formais e públicas ou cotidianas e informais), conceito este que denominaremos gêneros orais; dito de outro modo, essa seção busca explorar a questão de “que linguagem oral a criança poderá desenvolver?”.
3ª seção: A apropriação da linguagem pela criança – o valor do diálogo – apresenta os mecanismos e processos gerais que a teoria interacionista indica como responsáveis pelo desenvolvimento e a apropriação da linguagem oral pela criança, nas interações e diálogos com adultos ou companheiros mais capazes.
4ª seção: O diálogo no cotidiano da criança – mecanismos e processos de apropriação – discute os mecanismos e processos específicos de construção da linguagem oral pela criança nos diálogos cotidianos, enfocando diferentes momentos do desenvolvimento (balbucio, apropriação do léxico, construção da sintaxe da frase).
5ª seção: As narrativas e relatos no cotidiano da criança – sintaxe vertical e a construção de gêneros secundários – enfoca a construção feita, por meio do diálogo, de relatos cotidianos e da capacidade de contar e recontar estórias ficcionais e contos, procurando ressaltar o salto de qualidade que essas interações provocam na linguagem infantil.
6ª e última seção: O oral na escola – construindo outros orais (e escritos) – busca mostrar como muitas interações orais escolares retomam o procedimento de construção de textos orais mais complexos, como verbetes e definições, por meio do diálogo; busca também tematizar as possibilidades de aplicação desses conceitos explorados no trabalho do Caderno às situações e práticas de sala de aula.
13 – As relações entre fala e escrita – Como e por que surgiu a escrita? Que necessidades levaram os grupos humanos a deixar traços em superfícies concretas? Quais os primeiros grupos humanos a fazê-lo? Como chegamos ao alfabeto tal como o conhecemos hoje? Como a escrita evoluiu ao longo da história da humanidade? Que finalidades ela cumpre hoje, nas complexas sociedades letradas pós-modernas? Neste processo, como se configuraram e se configuram hoje as relações entre a fala e a escrita? Neste Caderno, discutiremos essas e outras questões ligadas às relações entre fala e escrita em nossa sociedade – a partir de diferentes perspectivas e buscando uma reflexão crítica sobre os muitos mitos que cercam essas relações –, com a finalidade de subsidiar o trabalho do professor com a língua em uso na sala de aula, em interações orais ou escritas.
14 – A escolha do livro didático de Português – Com o objetivo de colaborar no sentido de que a escola e o professor se apropriem plenamente desse processo, o aproveitem como um momento privilegiado de reflexão sobre práticas docentes e, assim, façam uma escolha qualificada do livro didático com que pretendem trabalhar, este Caderno trata de aspectos teóricos e metodológicos diretamente implicados nessa escolha.
15 – Variação linguística e ensino – Este Caderno apresenta fundamentos que ajudam a entender o fenômeno da variação linguística. Vamos procurar conhecer mais a respeito da variação linguística e discutir como podemos lidar com ela no ensino do português.
16 – A reflexão metalinguística do Ensino Fundamental – Levar os alunos ao domínio consciente e eficiente das práticas sociais de linguagem, o exercício metalinguístico em sala de aula deve implicar o pensar, a um só tempo, sobre estratégias discursivas (domínio de gêneros textuais orais e escritos), sobre estruturas linguísticas (diversidade de usos linguísticos; organização frasal; organização vocabular) e sobre aspectos notacionais da escrita (ortografia, pontuação, diagramação de texto e de suporte textual).
17 – Orientações para o Educador – O programa Alfabetização e letramento, do qual este Caderno faz parte, destina-se à formação de docentes e especialistas e ao aprimoramento de processos de ensino-aprendizagem das séries ou ciclos iniciais do Ensino Fundamental, na área da alfabetização e do letramento.

COMENTE pelo Facebook:

Postagens Relacionadas

Próximo
Anterior

0 comentários:

Acompanhe !!

Conteúdo para Estudantes, Pais e Professores.

Exercícios, Atividades Educativas, Alfabetização infantil, Atividades Infantis, Atividades Lúdicas, Atividades para Imprimir, Atividades Pedagógicas, Atividades para Professores, Artesanato, Artigos Educacionais, Autismo, Berçário, Moldes para Imprimir, Datas comemorativas, Maternal, Folclore, Planos de Aula, Sequências Didáticas, Planos de Aula, Livros Infantis, Início Ano Letivo, Desenhos para colorir, Imagens Educativas, Notícias sobre os Vestibulares e Enem, Monografias e mais.